Pelo menos 25 combatentes das forças pró-governamentais iraquianas foram mortos repelindo uma grande ofensiva do grupo radical Estado Islâmico (EI) em Haditha, na província ocidental de Al-Anbar, informaram fontes da segurança.

“Oferecemos 25 mártires em 72 horas”, declarou um comandante tribal, xeque Abdallah Atallah, contactado telefonicamente pela agência France Presse em Haditha, zona onde existe uma grande barragem e que resiste ao EI desde 2014.

Atallah adiantou que a ofensiva, “uma das maiores” que a zona já enfrentou, “foi lançada de três direções” e causou ainda várias dezenas de feridos.

O balanço foi confirmado pelo presidente do município de Haditha, cidade situada a cerca de 200 quilómetros a noroeste de Bagdad.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Tivemos mais de 20 mártires e mais de 50 feridos entre os efetivos do exército, dos serviços de contraterrorismo, da polícia e dos combatentes tribais”, precisou Mabrouk Hamid.

Na província de Al-Anbar, o EI perdeu recentemente o controlo da grande cidade de Ramadi, recuperada em dezembro pelas forças pró-governamentais.