Política

Luís Aguiar Conraria: “Um orçamento constitucional, mas de risco”

Há uns dias surgiram uns rumores de que o Presidente não queria que o OE entrasse em vigor no dia 1 de abril, dia das mentiras. Imagino que também não queira promulgar nada numa sexta-feira 13.

O novo Presidente sente necessidade de conversar com o país. Fará sentido criar um PR-TV?

HUGO AMARAL/OBSERVADOR

O que mais me chocou no anterior Presidente da República, Cavaco Silva, foi a sua declaração, a pretexto de um Orçamento do Estado (OE), segundo a qual não o tinha enviado para fiscalização do Tribunal Constitucional por ter concluído que a declaração de inconstitucionalidade seria um risco demasiado elevado para o país. É possível que o risco estivesse lá, naturalmente, mas não se espera que um Presidente, que jurou cumprir e fazer cumprir a Constituição, faça uma análise de custo-benefício da mesma.

Esta é a primeira nota que gostaria de deixar: com o novo Presidente a normalidade constitucional parece estar de regresso a Belém.

A segunda nota tem a ver com os riscos quer externos quer internos que Portugal enfrenta que são por todos conhecidos. O Presidente da República nada adiantou de novo sobre o assunto, tendo, no entanto, ficado implícito que, perante tantos riscos que enfrentamos, teria preferido um Orçamento mais prudente.

A terceira nota que quero deixar tem a ver com o dia 1 de abril. Há uns dias surgiram uns rumores de que o Presidente não queria que o OE entrasse em vigor no dia 1 de abril, dia das mentiras. Queria evitar piadinhas. É algo singular ter um Presidente preocupado com estas coisas. Imagino que também não queira promulgar nada numa sexta-feira 13.

De resto, não parece haver nada de novo, exceptuando a necessidade que o novo Presidente sente em conversar com o país. Existindo já a AR-TV — Canal Parlamento —, pergunto-me se não faria sentido criar um PR-TV.

Luís Aguiar Conraria professor e vice-presidente da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho

Para voltar ao início clique aqui.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Reforma judiciária

Ensaio sobre a Lucidez na Justiça

Susana Amador

A reforma do sistema de Justiça de que Rui Rio diz que ”todos falam mas não se faz” afinal está a ganhar forma e a trazer resultados porque se tem colocado ao serviço da cidadania e do desenvolvimento

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)