A Mitteldeutsche Regiobahn, uma operadora de comboios alemã, anunciou que irá ter uma carruagem exclusiva para mulheres, como resposta aos ataques sexuais em Colónia, no início do ano.

A carruagem deverá ser a primeira imediatamente a seguir à do motorista. E a estreia será na linha que liga Leipzig a Chemnitz — com cerca de 90 quilómetros de extensão. “A proximidade com o representante da empresa é uma opção ponderada”, afirmou o porta-voz da operadora.

A ideia é que esta carruagem se destine a mulheres que viajem sozinhas, ou que se façam acompanhar de crianças pequenas, e possam sentir-se seguras a andar no comboio. Está prevista a ocupação por qualquer criança com menos de dez anos, informa o The Telegraph.

A inovação surgiu na sequência dos casos de agressões sexuais no dia de Ano Novo, em que cerca de mil homens rodearam a Estação Principal de Colónia e, alegadamente, agrediram sexualmente dezenas de mulheres. Nos dias que se seguiram, muitas vozes se levantaram atirando culpas aos refugiados sírios que tinham chegado a Colónia.

Três meses depois dos acontecimentos, a primeira acusação. Um cidadão argelino de 26 anos foi acusado de ter agredido sexualmente uma mulher. A vítima terá sido rodeada e atacada por ele e por outrosdez homens.

Refugees from Syria hold a sign reading "we are syrians-we are against violence against women" as they demonstrate against violence at the Cologne main train station in Cologne, western Germany on January 16, 2016 where violence against women were perpetrated on New Year's Eve. / AFP / PATRIK STOLLARZ (Photo credit should read PATRIK STOLLARZ/AFP/Getty Images)

Refugiados sírios seguram cartazes afirmando “Nós somos sírios! Somos contra a violência feminina” ou “Não quer dizer não”, frente à estação de Colónia. (PATRIK STOLLARZ/AFP/Getty Images)