Bonjour, mesdames et messieurs, bienvenue a France. Esta senhora seleção é quem recebe as demais em sua casa e promete bom futebol. Tem de prometer. Isto de ter Pogba, Griezmann, Martial, Coman, Cabaye mais a pedalada de Matuidi, Lass Diarra e Kanté tem de resultar em futebol a sério. Faltará Karim Benzema, o avançado do Real Madrid, que seria a cereja no topo do bolo desta equipa, mas o escândalo com Valbuena roubou-lhe a oportunidade de ser um dos heróis do seu povo. Didier Deschamps, que venceu a competição em 2000 como capitão, sabe bem o que quer: voltar a vencer. Simples.

E os números desta potência europeia impõem respeito: em oito participações, em metade delas ficaram no top-4, sendo que duas dessas venceram. Em 1984 Michel Platini foi o génio dos génios e levou ao colo os gauleses até à glória, com nove golos, um registo que se mantém como recorde dos Campeonatos da Europa. Em 2000 foi Zidane a estrela maior, com a ajuda de Henry e Trezeguet. Como vai ser em 2016, Pogba?

separador_o_onze

Hugo Lloris; Bacary Sagna, Laurent Koscielny, Eliaquim Mangala e Patrice Evra; N’Golo Kanté, Blaise Matuidi e Paul Pogba; Dimitri Payet, Anthony Martial e Antoine Griezmann.

separador_treinador

Didier Deschamps

craque (2)

Paul Pogba

Convocados

Guarda-redes: Benoît Costil (Rennes), Hugo Lloris (Tottenham), Steve Mandanda (Marselha)

Defesas: Adil Rami (Sevilha), Bacary Sagna (Manchester City), Eliaquim Mangala (Manchester City), Laurent Koscielny (Arsenal), Christophe Jallet (Lyon), Patrice Evra (Juventus), Lucas Digne (Roma), Samuel Umiti (Lyon)

Médios: Dimitri Payet (West Ham), Moussa Sissoko (Newcastle), Paul Pogba (Juventus), Lassana Diarra (Marselha), Yohan Cabaye (Crystal Palace), N’Golo Kanté (Leicester City), Blaise Matuidi (PSG)

Avançados: Kingsley Coman (Bayern Munique), André-Pierre Gignac (Tigres), Olivier Giroud (Arsenal), Antoine Griezmann (Atlético Madrid), Anthony Martial (Manchester United)