Cinco polícias morreram e outros sete ficaram feridos com tiros numa manifestação em Dallas, Estados Unidos da América, na quinta-feira, de protesto contra a violência policial sobre negros, disseram as autoridades norte-americanas.

A polícia de Dallas informou que três suspeitos já foram detidos. As autoridades estiveram durante a manhã a negociar com um quarto suspeito, que estava numa garagem na baixa de Dallas, avança o The New York Times.

Imagens desta manhã mostram as negociações entre a polícia e o quarto suspeito:

[Um vídeo divulgado pela FOX parece mostrar o um dos suspeitos durante o tiroteio.]

https://www.youtube.com/watch?v=-23nlUpUte0

As autoridades de aviação civil dos Estados Unidos decidiram restringir o espaço aéreo em torno da cidade de Dallas. “Nenhum piloto pode operar uma aeronave na zona abrangida” por essa interdição, refere um comunicado emitido para pilotos e companhias aéreas.

“Somente voos de emergência, sob instruções da polícia de Dallas, são autorizados no espaço aéreo”, lê-se no texto. As restrições dos voos aplicam-se até às 12:30 (hora de Lisboa).

De acordo com o chefe da polícia de Dallas, citado pelo The New York Times, as autoridades suspeitam de que o ataque foi preparado por quatro suspeitos, coordenados, posicionando-se em locais estratégicos junto à estrada onde a manifestação iria passar. Segundo o chefe da polícia, os autores dos tiros colocaram-se em locais “elevados” para disparar sobre os polícias.

https://twitter.com/FOX4/status/751236933125156864

A identidade de um dos agentes mortos já é conhecida: Brent Thompson, de 43 anos, agente da polícia ao serviço do DART (Dallas Area Rapid Transit), serviço de transportes da cidade. Os nomes dos restantes quatro agentes ainda não são conhecidos.

https://twitter.com/AdityaRajKaul/status/751314696242888704

Milhares de pessoas manifestaram-se nas últimas horas nos EUA, em cidades como Nova Iorque, Los Angeles e Chicago, para protestar contra a violência policial sobre negros.

O presidente da câmara de Dallas, Mike Rawlings, reagiu dizendo que “é uma manhã desoladora, perder estes quatro agentes que serviram orgulhosamente os nossos cidadãos”.

https://twitter.com/CNN/status/751294812821843969

A primeira reação da Casa Branca é breve: “O Presidente foi informado sobre o tiroteio com agentes da polícia em Dallas. Pediu à equipa que o mantivesse atualizado sobre a situação assim que houver novas informações”.

https://twitter.com/dcexaminer/status/751309457653719040

A capa do jornal regional The Dallas Morning News traz na manchete “Emboscada. 11 agentes baleados: 4 mortos”.

Cm0Z8PWVYAEguTe

As manifestações surgiram após as mortes, registadas em vídeo, de dois homens afro-americanos às mãos da polícia. Philando Castile morreu na quarta-feira em Falcon Heights, no Estado de Minnesota, e Alton Sterling morreu na terça-feira, em Baton Rouge, no Estado de Luisiana.

As mortes, ambas filmadas, provocaram protestos e a denúncia de violência policial contra afro-americanos e outras minorias. Na quinta-feira, a ONU pediu aos Estados Unidos que investiguem estas mortes.

Por outro lado, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que todos os norte-americanos devem estar preocupados com a violência da polícia e que as forças de segurança devem ser reformadas.

“Isto não é só um assunto dos negros, nem dos hispânicos. Isto é um assunto dos norte-americanos, e todos nos devemos preocupar”, disse Barack Obama, na quinta-feira, na sua chegada a Varsóvia, para participar na cimeira da NATO.

“Todas as pessoas justas devem estar preocupadas. É nossa responsabilidade dizer que conseguimos fazer melhor. Nós somos melhores do que isto”, afirmou.

O Departamento de Justiça dos EUA, que tem a missão de investigar crimes raciais, e a polícia federal (FBI) abriram uma investigação sobre a morte de Sterling.

O governador do Minesota, Mark Dayton, pediu na quinta-feira ao Governo norte-americano que abra uma investigação similar sobre a outra morte, ocorrida no seu estado.