457kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Compare Amatrice, antes e depois do sismo

Este artigo tem mais de 5 anos

A Itália acordou debaixo de escombros, depois de um sismo que já fez dezenas de mortos e de feridos. É o maior sismo desde 2009. Veja como eram as ruas de Amatrice antes e depois do desastre.

i

Google Maps/ Google Maps

Google Maps/ Google Maps

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Amatrice é uma comuna italiana, na região de Lácio, onde vivem 2.802 pessoas. Esta madrugada, esta pequena vila acordou debaixo de cinzas após um terramoto de magnitude 6.2 da escala de Richter ter agitado a localidade, provocando dezenas de mortos e de feridos.

O Observador compara o antes e o depois de Amatrice, recorrendo às imagens captadas pelo Google Maps em dezembro de 2011 e àquelas que nos chegam esta quarta-feira da destruição em que a vila ficou transformada. Coloque o cursor do rato em cima da barra branca entre as duas imagens e arraste-a para a esquerda ou direita, de modo a observar as diferenças.

Em declarações à imprensa italiana, o presidente da Câmara de Amatrice pinta um cenário arrasador: “Metade da vila desapareceu. A missão agora é salvar o maior número de vidas possível. Ouvimos vozes debaixo dos escombros, precisamos de salvar estas pessoas”. Um dos habitantes de Amatrice garante que este era “um dos sítios mais bonitos da Itália e agora está reduzido a nada”.

Os serviços de análise geológica dos Estados Unidos já confirmou que este é o pior sismo desde abril de 2009, quando um abalo avaliado em 6,3 na escala de Richter atingiu L’Aquila, provocando 295 mortos e mil feridos. Esta quarta-feira, o epicentro do sismo esteve localizado quarenta quilómetros a norte de Amatrice, uma das vilas mais afetadas.

O apoio internacional já começa a chegar. Vários países da União Europeia ofereceram “total apoio” e “assistência” ao governo italiano, que dispõe de um fundo para satisfazer as necessidades imediatas depois de uma catástrofe. Estas imagens foram todas captadas na Rua Corso Umberto I, no centro da vila.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.