O presidente russo, Vladimir Putin, cancelou uma visita oficial a França planeada para a próxima semana, depois de o presidente francês, François Hollande, ter acusado a Rússia de crimes de guerra na Síria. A notícia é avançada pela CNN, que cita uma fonte oficial do Kremlin. A fonte não confirmou, contudo, qual o motivo do cancelamento da viagem de Putin.

A notícia surge depois de François Hollande ter dito que estava a ponderar se deveria ou não encontrar-se com Putin, argumentando que a Rússia tinha vetado uma resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas para terminar com os bombardeamentos em Alepo, na Síria. Hollande afirmou ainda que os países responsáveis pelos bombardeamentos deviam ser presentes ao Tribunal Penal Internacional, referindo-se à Síria e à Rússia.

Hollande acusou Moscovo de “crimes de guerra” cometidos em Alepo, numa entrevista à televisão francesa TF1, e admitiu que não sabia ainda se deveria receber Putin. “Pergunto-me a mim mesmo: é útil? É necessário? Podemos fazer alguma coisa para o forçar a parar o que estão a fazer com o regime sírio”, questionou Hollande, referindo-se à “ajuda que prestam ao regime sírio, que bombardeia a população de Alepo”.

“Se o receber, irei dizer-lhe que isso é inaceitável, que é mau até para a própria imagem da Rússia. O que eu lhes digo é que estas populações são hoje vítimas de crimes de guerra, e aqueles que cometem estes atos terão de assumir a sua responsabilidade perante o Tribunal Penal Internacional”, acrescentou ainda Hollande.

A visita de Putin a Paris deveria acontecer no próximo dia 19 de outubro. O presidente russo iria ao país para a inauguração de uma igreja ortodoxa. Putin está deverá encontrar-se com François Hollande quando o homólogo francês se “sentir mais à vontade” com a reunião, de acordo com o Kremlin.