A marca sul-coreana Samsung está a enviar aos clientes caixas com luvas e plásticos para que devolvam os telemóveis Note 7 devido cujas baterias explodem. Existem ainda 2,5 milhões de telemóveis Samsung Note 7 por recolher e a situação parece não ser tão simples como à partida se previa, quando a empresa mandou devolver todos os aparelhos em todo o mundo.

A FedEx, UPS e o Serviço Postal dos EUA disseram esta quarta-feira que estes telemóveis não serão permitidos nos seus aviões e ainda que haverá fortes restrições no que diz respeito ao transporte desta gama de telemóveis nos seus camiões. O Departamento de Transportes norte-americano já proibiu também a transferência aérea de todos os produtos com baterias de lítio por razões de segurança.

Esta quarta-feira, a porta-voz da FedEx, Rae Lyn Rushing afirmou mesmo que só “aceitará transportar dispositivos novos ou usados a partir dos locais de revenda do produto… e apenas em embalagens que cumpram as normas regulamentares de forma rigorosa”. A empresa acrescenta ainda que não aceitará quaisquer telemóveis de “clientes individuais ou em zonas outlet”. O manual de instruções da FedEx servem “para garantir que a prioridade é a segurança”.

A Samsung teve assim de tentar garantir que os telemóveis são devolvidos em pacotes seguros. Os “Kits de Retorno”, como são chamados, consistem em caixas termicamente isoladas. Lá dentro têm um saco de blindagem estática para colocar o telemóvel, que é depois é colocado noutra caixa, e, finalmente na caixa de transporte, antes de ser devolvido. A caixa externa é revestida com papel de fibra cerâmica, concebida especialmente para lidar e conter temperaturas extremas.

O pacote de segurança traz ainda luvas de segurança e manual de instruções. Estes kits estão a ser fornecidos a todos clientes que adquiriram o smartphone, para conseguirem fazer a devolução em segurança.

Os kits foram distribuídos depois da empresa sul-coreana ter informado que iria interromper a produção e as vendas dos Note 7, na sequência de vários casos onde ocorreram explosões seguidos de incêndio do smartphone. O aquecimento extremo das baterias pode ser a causa do fenómeno.

“Queremos fazer a troca do seu dispositivo da forma mais fácil e conveniente”, pode ler-se na carta que é enviada ao consumidor juntamente com o kit. A existência de material à prova de fogo no kit foi divulgado pelo blog de tecnologia XDA-Developers. Perante a notícia, a Samsung resolveu explicar a situação num comunicado enviado à CNN.

“O envio de dispositivos que contêm iões de lítio, ficam sujeitos a regulamentações governamentais, e estas caixas especiais são exigidas por essas mesmas regulamentações”, afirmou a empresa.

A caixa de transporte está rotulada com avisos e procedimentos de entrega. “Danificado/ com defeito de bateria”, pode ler-se. E ainda: “Proibido transportar de avião”.

Este é o aviso: se ainda está na posse do Note 7, pare, imediatamente, de o usar e não recarregue a bateria. Para saber mais sobre o processo de troca, contacte a Samsung ou a sua operadora de telemóvel.