Jared Kushner, genro de Donald Trump, é o novo foco da investigação do FBI no caso da influência russa nas eleições presidenciais norte-americanas, segundo informações avançadas pelo The Washington Post esta quinta-feira.

Em causa estão uma série de reuniões realizadas por Kushner com um embaixador e um banqueiro russos. A primeira aconteceu em dezembro, com Sergey Kislyak o embaixador russo, em Nova Iorque. Uma segunda reunião aconteceu entre um deputado e o embaixador, na qual Michael Flynn, ex-conselheiro para a Segurança Nacional dos EUA, esteve também presente.

Carta revela que Michael Flynn mentiu em relação ao seu envolvimento com a Rússia

Kushner reuniu-se também com Sergey Gorkov, o dono do banco Vnesheconombank, que foi alvo de sanções norte-americanas, na sequência da anexação da Crimeia à Rússia.

A natureza dessas reuniões são o novo foco dos investigadores e Kushner já se ofereceu para disponibilizar informação.

O sr. Kushner ofereceu-se anteriormente para compartilhar com o Congresso o que ele sabe sobre essas reuniões. Ele fará o mesmo se for contatado no âmbito de qualquer outro inquérito “, esclareceu Jamie Gorelick, um de seus advogados, ao jornal.

Kushner, que é também conselheiro do presidente dos Estados Unidos não é suspeito nem alvo a investigação nem foi acusado de qualquer irregularidade.