O Pentágono testou com sucesso a interceção e destruição de um míssil balístico intercontinental esta terça-feira, com recurso a um novo sistema de defesa de longo alcance. O teste, conduzido durante a noite, é visto como uma assertiva resposta aos esforços nucleares da Coreia do Norte e como uma aferição da capacidade norte-americana de se defender de um hipotético ataque.

O teste foi conduzido a partir da Base Aérea Vandenberg, na Califórnia, para intercetar e destruir um míssil falso que atravessou o Oceano Pacífico – uma possível simulação de um ataque de Pyongyang. O alvo foi um míssil lançado a partir de Kwajalein, nas Ilhas Marshall – a cerca de 7600 quilómetros da costa oeste dos Estados Unidos.

5 fotos

O intercetor “destruiu o alvo numa colisão direta”, garante um comunicado da Agência de Defesa contra Mísseis (ADM). “A interceção de um míssil complexo e representativo de ameaça é um feito muito importante e uma meta crítica do nosso programa [de defesa]”, confirmou o diretor da ADM, Jim Syring.

Este sistema é extremamente importante para a defesa do nossa pátria, e este teste demonstra que temos um sistema dissuasor credível e capaz de dar resposta a uma ameaça bem real.”

Enquanto que o Pentágono classifica o teste como um sucesso, alguns especialistas alertam que o novo sistema de defesa ainda tem um longo caminho pela frente até estar completamente implementado. Até agora, custou 40 mil milhões de dólares (cerca de 36 mil milhões de euros).

“São dois testes com sucesso de seguida, o que é importante, mas são apenas dois testes passados em cinco tentativa. Isso é uma taxa de sucesso de 40% desde 2010″, explica Philip Coyle, do Centro de Controlo de Armas e Não-Proliferação.

Na escola, 40% não é uma nota positiva. Com base neste valor não podemos depender deste sistema para nos proteger de um míssil intercontinental norte-coreano.”

As imagens divulgadas mostram o lançamento do sistema de contra-ataque.

https://www.youtube.com/watch?v=Ilqjow72FSM

Este teste ocorre apenas dois dias depois de um ensaio balístico da parte de Pyongyang – um míssil de curto alcance que viajou cerca de 400 quilómetros até atingir águas de soberania japonesa.