O CDS-PP defendeu, esta segunda-feira, que o Governo tem de ter consultado a Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CReSAP) sobre as nomeações para a TAP e desafiou-o a divulgar os respetivos documentos.

“Não nos passa sequer pela cabeça que o Governo proceda a estas indicações sem ter previamente consultado a própria CReSAP”, afirmou o deputado e dirigente do CDS-PP Pedro Mota Soares, numa declaração aos jornalistas, na Assembleia da República.

O ex-ministro da Solidariedade, do Trabalho e da Segurança Social acrescentou: “O desafio que nós fazemos ao Governo é que dê alguma transparência a este processo divulgando esses mesmos documentos”.

Pedro Mota Soares não nomeou ninguém, mas referiu-se indiretamente ao advogado Diogo Lacerda, ao declarar que “este é um processo que tem sido opaco” desde o início, e que “começou com a indicação de uma pessoa que não tinha sequer um título formal, ninguém percebeu se agia como amigo do primeiro-ministro, se como representante do Governo português”.

Contudo, questionado se Diogo Lacerda deve ou não integrar a administração da TAP, o deputado do CDS-PP respondeu: “Quem faz essa avaliação tem de ser o Governo. Nós não fulanizamos”.

“Gostávamos era de ter conhecimento, por parte da entidade que tem a capacidade de escrutinar a competência, o mérito, a capacidade, que é a CReSAP, dos documentos que já foram produzidos sobre estas mesmas indigitações”, acrescentou.