Rádio Observador

PS

Costa defende expulsão do eurodeputado do PS que chamou cigana a deputada socialista

417

“Há muito que Manuel dos Santos desonra o seu passado. Hoje tornou-se uma vergonha para o PS. Espero que a Comissão rapidamente nos liberte da companhia de quem partilha preconceitos racistas".

PAULO NOVAIS/LUSA

O secretário-geral do PS, António Costa, criticou nesta sexta-feira o eurodeputado socialista Manuel dos Santos, afirmando que se tornou “uma vergonha para o PS”, e defendeu a sua expulsão do partido por “preconceitos racistas”.

Há muito que Manuel dos Santos desonra o seu passado. Hoje tornou-se uma vergonha para o PS. Espero que a Comissão Nacional de Jurisdição rapidamente nos liberte da companhia de quem partilha preconceitos racistas”, afirmou, numa declaração à agência Lusa.

Pedro Nuno Santos: PS deve ter “tolerância zero”

O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, o socialista Pedro Nuno Santos, diz que “o comportamento de Manuel dos Santos é indigno de um socialista” e defende que “o partido deve ter tolerância zero” para com o eurodeputado.

PS de Bruxelas vai “analisar internamente o caso”

O Partido Socialista de Bruxelas vai analisar as declarações do eurodeputado socialista Manuel dos Santos que insultou a deputada socialista Luísa Salgueiro como “cigana”. A delegação do Parlamento Europeu vai reunir a 27 de junho e vai analisar o que foi dito por Manuel dos Santos.

Carlos Zorrinho, socialista líder da delegação socialista, escreve no seu Facebook que “o teor das acusações pessoais será analisada internamente”. O socialista escreve ainda que “o assunto das autárquicas em Portugal não está na agenda do Parlamento Europeu”.

Sobre as declarações de Manuel dos Santos em relação a Luisa Salgueiro:1. Como Presidente da Delegação do PS no…

Posted by Carlos Zorrinho on Friday, June 16, 2017

O líder socialista já tinha considerado as declarações como “lamentáveis” e que o chocaram “profundamente”, como chocariam “se fossem feitas por qualquer qualquer outro socialista”, termina.

Em causa pode estar em cima da mesa um processo disciplinar ou outro tipo de pena, mas, por enquanto, os responsáveis não falam na expulsão do eurodeputado.

Também a distrital do Porto do PS retirou a confiança política ao deputado socialista. Em comunicado, a mesma distrital diz que vai acompanhar a “participação disciplinar que o Presidente do partido, Carlos César, fará aos órgãos jurisdicionais a propósito desta atitude”

O PS é o partido da liberdade e da tolerância e sempre conviveu bem com a crítica e com as diferenças de opinião, mas não pode tolerar que o exercício da liberdade seja confundido com o insulto gratuito e com a negação dos valores socialistas. A Federação Distrital do Porto do PS retira, por isso, a confiança política a Manuel dos Santos, tendo a expectativa que este se venha a retratar de um comportamento tão ignóbil.”

Manuel dos Santos foi para Bruxelas, no ano passado, substituir Elisa Ferreira, quando esta rumou ao Banco de Portugal.

Pizarro sugere que Manuel dos Santos se mude para a Frente Nacional

O candidato socialista à Câmara do Porto, Manuel Pizarro, reagiu através do Facebook à polémica. “Como corolário do seu esforço para atacar a candidata do PS à Câmara Municipal de Matosinhos, Luisa Salgueiro, o eurodeputado Manuel dos Santos decidiu recorrer ao insulto vil, racista e xenófobo”, escreveu Pizarro, sublinhando como Manuel dos Santos “passou os limites de um partido como o PS, onde o amor à liberdade e a tolerância nunca se confundiram com a falta de respeito pelos valores humanistas”.

“Quem assim pensa está a mais no PS. Lá para o Parlamento Europeu, há um grupo político que talvez o aceite: aquele onde se sentam os deputados da Frente Nacional. Mesmo assim é só enquanto não o conhecerem”, rematou.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)