A Amnistia Internacional denunciou esta quinta-feira a detenção do diretor da organização na Turquia e de sete ativistas de direitos humanos, que se encontram numa ilha ao largo de Istambul, exigindo a libertação imediata dos prisioneiros.

Idil Eser, diretor da Amnistia Internacional na Turquia, foi detido pela polícia na quarta-feira, na companhia de outros sete ativistas, no momento em que se encontravam numa ação de formação sobre segurança informática em Buyukada. Até ao momento, a polícia turca não fez qualquer comentário sobre a situação, desconhecendo-se os motivos das detenções.

Nós estamos profundamente revoltados porque os defensores dos direitos humanos mais destacados da Turquia, como o diretor da Amnistia Internacional no país, são presos desta forma, sem que sejam apresentadas quaisquer razões”, refere a organização através de um comunicado.

Eles [defensores dos direitos humanos] devem ser libertados imediatamente e sem condições“, sublinha a organização não-governal “sob a acusação absolutamente infundada” de envolvimento no golpe de Estado de 15 de julho de 2016.