O número de mortos devido ao sismo que ocorreu na quinta-feira à noite na costa sul do México passou para 90, divulgou este domingo a Proteção Civil de Oaxaca, referindo que 71 das mortes se registaram neste estado.

Numa publicação na rede social ‘Twitter’, a Proteção Civil de Oaxaca indica que, “numa reunião de avaliação, o governador [daquele estado], Alejandro Murat, revelou que o número de mortos causados pelo terremoto aumentou para 71”, isto apenas naquele estado do sul.

Além destas mortes, registaram-se 15 no estado fronteiriço de Chiapas e outras quatro em Tabasco.

O anterior balanço do sismo de magnitude 8,2 era de 65.

Este tremor de terra, o mais forte do último século no país e que atingiu em particular o sul do México, fez ainda centenas de feridos.

O Presidente do México, Enrique Peña Nieto, declarou três dias de luto nacional pelas vítimas do sismo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo cálculos preliminares, cerca de 50 milhões de pessoas foram expostas ao sismo no México, cujo epicentro foi registado no sudeste do estado de Chiapas (sul).

Na vizinha Guatemala, o abalo afetou mais de 4.700 pessoas e causou quatro feridos, além de provocar danos em cerca de 200 habitações. Afetou também infraestruturas, como dezenas de escolas e uma ponte.

No México, a passagem do furacão Irma causou ainda dois mortos.

Em setembro de 1985, um sismo de magnitude 8,1 devastou grande parte da capital, Cidade do México, e fez mais de dez mil mortos.