A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente russo, Vladimir Putin, falaram esta segunda-feira telefonicamente sobre o conflito com a Coreia do Norte e ambos defenderam uma solução por “vias pacíficas”, segundo um comunicado do governo alemão. Merkel manifestou a Putin o apoio da Alemanha aos esforços do Conselho de Segurança da ONU para aprovar com urgência novas sanções para pressionar o regime de Pyongyang.

Além de Putin, a chanceler alemã conversou telefonicamente com os presidentes norte-americano, Donald Trump, francês, Emmanuel Macron, e sul-coreano, Moon Jae-in, e com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, sobre uma saída diplomática para a crise desencadeada com o último teste nuclear da Coreia do Norte – com uma bomba de hidrogénio – e o lançamento de um míssil balístico sobre o Japão.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas reúne-se esta segunda-feira a pedido dos Estados Unidos para votar uma resolução que poderá impor as sanções mais severas de sempre à Coreia do Norte. O órgão executivo da ONU é constituído por cinco membros permanentes, com direito de veto – Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia e China -, e 10 membros não-permanentes.

Segundo fontes diplomáticas, o projeto de resolução apresentado pelos Estados Unidos prevê nomeadamente proibir todas as importações de petróleo e exportações de têxteis, impedir os norte-coreanos de trabalhar no estrangeiro e congelar todos os ativos financeiros no estrangeiro do governo e do seu líder, Kim Jong Un.