Rádio Observador

Polónia

Mais de 100 mil pessoas marcharam pelas ruas de Varsóvia

288

A marcha de comemoração do Dia Nacional da Polónia juntou mais de 100 mil pessoas nas ruas de Varsóvia, durante o fim de semana. "Europa branca de nações eternas" era um dos muitos slogans existentes.

AFP/Getty Images

A marcha de comemoração do Dia Nacional da Polónia juntou mais de 100 mil pessoas nas ruas de Varsóvia, durante o fim de semana, segundo noticia a Euronews . “Europa branca de nações eternas” era um dos muitos slogans que se podiam encontrar.

O convidado de honra deste ano foi o Presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, que voltou ao país onde foi primeiro-ministro entre 2007 e 2014, para comemorar o dia ao lado do Presidente Andrzej Duda.

A marcha, que é normalmente organizada pelos partidos de extrema direita, é um evento anual que pretende celebrar a independência da Polónia, conseguida no fim da Primeira Guerra Mundial. Contudo, este ano, juntaram-se muitos apoiantes do partido conservador no poder, o Lei e Justiça (PiS). A oposição, dividida, organizou diversas marchas paralelas. Entre os líderes de extrema direita encontravam-se também o ex-líder da Liga da Defesa inglesa, Stephen Lennon, mais conhecido como Tommy Robinson, e Roberto Fiore da Itália.

Este foi um dos maiores encontros de ativistas de extrema-direita, segundo os especialistas, durante o qual muitas pessoas desfilavam com os rostos cobertos, cantando “Polónia pura, Polónia branca” e “Refugiados fora!”. Os ativistas foram mais longe e, numa bandeira, inscreveram a seguinte frase – “Orem pelo holocausto islâmico”. Muitos marchavam com as bandeiras da Polónia e tantos outros atiravam bombas de fumo vermelho.

De acordo com o que Nick Lowles, do grupo anti-extremismo do Reino Unido Hope Not Hate, contou ao The Guardian, este tornou-se um ponto de encontro internacional para os grupos de extrema direita.

Os números que frequentaram a marcha este ano parecem ser maiores e, embora nem todos sejam ativistas ou fascistas de extrema direita, é, sem dúvida, mais significativo e está a atuar como um imã para grupos de extrema direita em todo o mundo.”

No mesmo dia aconteceu um protesto antifascista, onde os nacionalistas empurraram várias mulheres que levavam consigo bandeiras que diziam “Pare o fascismo” e cantavam slogans antifascistas.

A presença de Tusk aconteceu então numa altura em que Varsóvia está cada vez mais em desacordo com Bruxelas, devido à polémica da interferência do governo de PiS nos tribunais, à exploração de madeira em grande escala e à recusa em aceitar migrantes no país. As relações entre o governo polaco e Tusk foram demasiado tensas, de forma que a Polónia foi o único país a votar contra a sua reeleição como Presidente do Conselho em março.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)