Chefs

Fifty Seconds Martín Berasategui. A equipa portuguesa do projeto lisboeta do chef com oito estrelas Michelin

514

Depois de inúmeros atrasos, já há data certa para a inauguração do projeto lisboeta do chef espanhol com mais estrelas Michelin. Conheça a equipa lusa que lhe vai dar vida.

Martín Berasategui é um dos mais importantes cozinheiros espanhóis

D.R.

A cidade de Lisboa vai receber uma novidade gastronómica de peso em outubro de 2018: Martín Berasategui, o chef espanhol com mais estrelas Michelin (oito no total, dois restaurantes com três estrelas e um com duas), vai inaugurar o Fifty Seconds Martín Berasategui no topo da antiga Torre Vasco da Gama, atual hotel Myriad by Sana Hotels. A apresentação ibérica do projeto só vai ser feita no próximo dia 23 de maio, no topo do hotel lisboeta, e o Observador já sabe quem vão ser as caras por trás deste novo projeto.

Apesar de o chef ser natural do País Basco, neste restaurante — que é um projeto do Grupo Sana feito em parceria com o cozinheiro — só se vai falar português. Filipe Carvalho, tido por muitos como “miúdo maravilha” da cena gastronómica nacional, foi o escolhido como chef executivo do novo espaço e será dele a responsabilidade máxima na cozinha. O jovem aveirense começou por trabalhar com o tio numa pastelaria, mas em pouco tempo profissionalizou-se e foi somando um percurso invejável: trabalhou primeiro com o chef António Bóia no Rio’s, depois seguiu para as mãos de Paulo Morais e logo depois rumou ao Altis Belém, na altura comandado pelo chef Cordeiro. Depois dessa experiência rumou a Nova Iorque para trabalhar no Westchester Country Club com o chef Edward G. Leonard, e quando regressou a Portugal ficou aos comandos de Vincent Farges, na Fortaleza do Guincho. Daí seguiu para o Vila Joya (duas estrelas Michelin, fica no Algarve e é liderado por Dieter Koschina) e, mais tarde, viria a assumir a posição de sub-chef de João Rodrigues, no mesmo Feitoria onde já tinha estado. Paolo Casagrande, o braço direito de Martín Berasategui, acabou por o convidar para ser seu sub-chef no Lasarte — o segundo três estrelas de Berasategui que fica em Barcelona e que o Observador já visitou.

Filipe Carvalho será o chef executivo do Fifty Seconds Martín Berasategui. © Jorge Simão

Ao lado de Filipe, como chef pasteleira, estará Maria João Gonçalves, experiente cozinheira que também começou a sua carreira ao lado de Paulo Morais mas que acabou por passar em espaços como o Belcanto (duas estrelas), de José Avillez, o Vila Joya e o Lasarte.

Maria João Gonçalves será a chef pasteleira. © Jorge Simão

Esta é a espinha dorsal da equipa de cozinha que Martín escolheu para o representar, mas há mais. Na sala estará Inácio Loureiro, um dos mais conceituados sommeliers portugueses que esteve dez anos na Fortaleza do Guincho, saiu para fazer parte do Epur, novo projeto de Vincent Farges em Lisboa, mas acabou por vir parar à equipa do espanhol. Será chefe de sala.

[Inácio Loureiro é sommelier de formação mas neste projeto será o chefe de sala]

[o sommelier Marc Pinto]

Marc Pinto é o nome do sommelier principal do Fifty Seconds Martín Berasategui e será ele o responsável por tudo o que aqui vier beber. Apesar de ainda não ser um nome muito conhecido em Portugal, é tido como jovem promessa em terras de nuestros hermanos. Foi lá que fez grande parte da sua ainda jovem carreira — primeiro no hotel Ritz Carlton de Barcelona e depois no Lasarte — mas agora regressa com uma grande bagagem de conhecimento, especialmente em vinhos biodinâmicos e biológicos.

O restaurante em questão será uma das aberturas do ano e o seu nome (a parte do “Fifty Seconds”, “Cinquenta Segundos”, em português), é inspirado no tempo que demora a viagem de elevador até ao topo do Myriad.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: dlopes@observador.pt
Eutanásia

A morte não vencerá

Tiago Macieirinha

Sob a desculpa da compreensão pelos que sofrem, os projetos de lei que se apresentam no Parlamento significam antes a desistência em relação a eles. 

passeio aleatório

O meu vizinho Philip Roth /premium

Nuno Crato

Morreu um dos maiores romancistas das últimas décadas. A emigração portuguesa em Newark conhece bem o ambiente dos seus romances. Mas talvez o sentido de tolerância nos leve bem mais perto do escritor

Eutanásia

Eutanásia: porque não /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Em todos os países em que se pratica a eutanásia, é origem e causa de irremediáveis abusos contra a vida e a dignidade humana.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)