José María Aznar, antigo primeiro-ministro espanhol e antecessor de Mariano Rajoy na liderança do Partido Popular (PP), afirmou esta terça-feira que não se sente representado por qualquer partido político espanhol e defendeu que o centro-direita em Espanha foi destruído.

Não tenho nenhum compromisso partidário, não me considero militante de nada e não me sinto representado por ninguém”, garantiu Aznar, acrescentando que, apesar da presença do PP e do Ciudadanos na primeira linha política espanhola, “o centro direita foi desarticulado, o que estava unido agora foi dividido”.

De acordo com o ABC, o agora presidente da Fundação FAES, uma organização não-governamental que se dedica a organizar seminários e conferências para difundir o pensamento político, mostrou-se disponível para ajudar “aqueles que querem reconstruir o centro direita nacional” – à margem da vertente política -, algo que considera “indispensável”. “Contribuiria com muito gosto para que os espanhóis pudessem ter essa garantia no futuro”, explicou o ex-primeiro-ministro espanhol.

A aparição de José María Aznar na apresentação do livro do diretor da Fundação FAES, Javier Zarzalejos, foi uma surpresa, já que o antigo líder do PP se tem mantido longe da comunicação social. As declarações críticas de Aznar surgem no mesmo dia em que Mariano Rajoy anunciou que vai deixar a liderança do PP: quatro dias depois de ter sido afastado do Governo por uma moção de censura que colocou Pedro Sánchez, líder socialista espanhol, na presidência do Governo.