A visita do Presidente dos Estados Unidos a Londres, agendada para os próximos dias 12 e 13 de julho, vai ter uma ‘surpresa’: um balão gigante de Donald Trump em versão bebé, com um ‘ar’ zangado, de telemóvel na mão e com direito a fralda.

“O Presidente dos Estados Unidos é um balão gigante em formato de bebé porque ele se comporta como um bebé. Basicamente, se acontece alguma coisa de que ele não gosta, a sua reação é atirar os brinquedos para fora do carrinho [de bebé]”, afirmou ao Guardian Nona Hurkmans, porta-voz do grupo responsável pelo balão e que se auto-intitulam “ativistas de arte” antifascistas.

Inicialmente, o presidente da Câmara de Londres, Sadiq Khan, não era favorável à ideia, mas parece ter sido convencido por uma petição assinada por milhares de pessoas — e que angariou mais de 18 mil euros. “O presidente da Câmara apoia o direito a um protesto pacífico e compreende que isso pode ser feito de várias formas”, adiantou um porta-voz de Sadiq Khan à Sky News.

O autarca autorizou que o balão de seis metros voe perto do Parlamento britânico entre as 9h30 e as 11h30 de sexta-feira, ao mesmo tempo que decorre a marcha “Stop Trump”, mas tem de estar preso ao chão e não poderá ultrapassar os 30 metros de altura. Ainda assim, e apesar da autorização de Khan, a última palavra cabe à Polícia Metropolitana de Londres, que é quem controla o espaço aéreo daquele local no dia 13 e pode à última hora cancelar o voo.

O objetivo dos ativistas com este balão é não só tocar num ponto fraco do presidente norte-americano, mas também marcar uma posição em relação ao próprio governo britânico e mostrar que não “aprovam” as atitudes que têm semelhantes às de Trump.

“Nada afeta Donald Trump, pode tentar-se argumentar com ele, mas ele não reage. A única coisa que odeia mesmo é ser ridicularizado, portanto é isso que estamos a tentar fazer”, disse ainda a ativista Nona Hurkmans, acrescentando que o balão é frágil, “tal como o ego” do presidente norte-americano.