Brittany Kaiser, uma das denunciantes do caso Cambridge Analytica e antiga diretora da empresa de análise de dados, vai levar a palco a discussão “liberdade de acesso aos dados” no próximo dia 19 de julho, no AnarchaPortugal. O evento decorre até dia 20, no Porto, e vai ter entre os oradores Susanne Tarkowski Tempelhof, fundadora da BitNation (uma associação que disponibiliza dados cruciais sobre blockchain) e Vít Jedlička, presidente da Liberlândia (um estado libertário auto proclamado entre a Croácia e a Sérvia).

A antiga diretora da Cambridge Analytica trabalhou na campanha de Barack Obama (ajudou a criar o perfil de Facebook do antigo presidente norte-americano) antes de ir trabalhar, em 2014, com a polémica empresa de análise de dados. Kaiser ficou na empresa até fevereiro de 2018, pouco antes de ser revelado que a Cambridge Analytica recolheu os dados de perfis de Facebook de 87 milhões de pessoas para influenciar o resultado da campanha de Donald Trump e do Brexit. O caso, revelado pelo The Guardian, o The New York Times e o Channel, levou Mark Zuckerberg, fundador e presidente executivo do Facebook a pedir desculpa diversas vezes pelos erros de segurança e por a rede social não ter feito mais desde 2015, quando soube da situação.

Além de Kaiser, serão 25 os nomes que vão a palco na Alfândega, na Praia da Luz (e num cruzeiro no Douro), nestes dias no AnarchaPortugal, com temas como “liberdade de pensamento”, “Sociedade sem Estado” ou “a verdade sobre a anarquia”. Em comunicado enviado às redações, a organização refere que o objetivo desta primeira edição na Europa é “promover a liberdade, através da discussão de temas importantes para a sociedade do futuro, como o blockchain, as criptomoedas e a sustentabilidade.”

Os bilhetes para participar neste evento, que vai ter direito a massagens feitas por “blockchain bodyworkers” e “crypto-comediantes”, custam entre 300 e 1300 euros.