Cesar Sayoc, 56 anos, é o principal suspeito de ter enviado vários pacotes suspeitos, que teriam explosivos, a políticos do Partido Democrata e críticos da presidência de Donald Trump. Foi preso em Miami, na Flórida, nos Estados Unidos da América e tem um registo criminal extenso. A última vez que esteve preso foi em 2015.

EUA. Cesar Sayoc Jr., detido no caso dos pacotes suspeitos, indiciado por cinco crimes, arrisca 58 anos de prisão

As autoridades americanas intercetaram, até agora, 13 pacotes suspeitos que tinham como destinatários personalidades com o multimilionário George Soros, Hillary e Bill Clinton, Barack Obama ou Joe Biden, o antigo vice-presidente norte americano. Apesar de ter sido detido na Flórida, onde tem um endereço na localidade de Aventura, o suspeito tem ligações à cidade de Nova Iorque, avança a CNN.

O The New York Times revelou que Cesar Sayoc é membro do Partido Republicano. Perto do local da detenção, esta tarde, as autoridades federais americanas rebocaram uma carrinha branca com vários autocolantes nas janelas alusivos ao partido e aos comícios realizados por Donald Trump. Sayoc tem um historial criminal na Flórida desde 1991, que inclui furto, posse de droga e acusação de fraude. Há registo também de Sayoc ter sido acusado de ter ameaçado utilizar uma bomba.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A NBC entrevistou uma prima de Sayoc, que se mostrou perplexa com a detenção: “Ele sempre foi muito simpático e uma pessoa caridosa”, disse esta familiar do suspeito que, apesar de já não o ver há 20 anos, falou recentemente ao telefone com ele. O suspeito ligou à prima porque o pai desta morreu e queria dar as condolências.

Outro primo do suspeito, questionado pelo mesmo meio, afirma que Sayoc vivia na sua carrinha e que estaria a buscar de esteróides. Sayoc era um stripper masculino e queria ser wrestler, disse o familiar.

Segundo os registos do estado norte-americano, Sayoc tem como profissão a referência de ser “gerente” [manager]. Tem cerca de 98 quilos e mede 1m80.

*Em atualização