Daimler

Daimler dá bónus de 4.965€ a 130 mil funcionários

115

A Daimler tem o hábito de partilhar com os seus funcionários uma fatia dos seus lucros. Em 2017, distribuiu o maior prémio de sempre: 5.700€. Mas este ano os lucros baixaram e o bónus também.

Este ano são cerca de 130.000 os empregados da Daimler (Mercedes e Smart), na Alemanha, que vão ter direito a um prémio de até 4.965€, valor que corresponde a um total de 741 milhões de euros a distribuir pelos empregados. Um pouco menos do que no ano passado (5.700€), com a marca a justificar o “corte” devido aos resultados menos bons que o grupo alemão conseguiu em 2018.

Segundo a Daimler, esta é uma forma da empresa agradecer a dedicação da sua força de trabalho e parte do acordo com os sindicatos, medida que foi implementada em 1997. A redução do prémio pago este ano, face ao de 2017, fica a dever-se, segundo o fabricante, ao facto de o lucro operacional ter descido para 11,1 mil milhões de euros, depois dos 14,3 mil milhões atingidos há um ano atrás. Também os accionistas sofreram com a redução dos lucros, com o grupo a pagar 3.35€ de dividendos, menos 40 cêntimos do que no ano transacto.

Segundo o CEO da Daimler, Dieter Zetsche, a quebra teve como origem a guerra comercial entre EUA e a China, além dos fortes investimentos que irão ser realizados até 2021, directamente ligados à mobilidade eléctrica. Este forte investimento já provocou cortes na área de veículos de passageiros de 4 mil milhões de euros em 2018, como forma de evitar uma maior redução dos lucros.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt
Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves
248

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)