“Pessoas como o Tim […] estão a investir bastante no nosso país [Estados Unidos da América]. Apreciamos isso imensamente, Tim Apple“, disse esta quarta-feira Donald Trump, numa reunião de um comité para valorizar o trabalho nos EUA. O problema foi que o político americano confundiu o apelido do presidente executivo da Apple com o da própria empresa (o homem que sucededeu a Steve Jobs chama-se Tim Cook). Tática de comunicação ou puro engano, a causa não se sabe. Contudo, subtilmente, Cook alterou esta quinta-feira o último nome no Twitter para o logótipo da maçã trincada que simboliza a Apple.

Cook alterou o apelido no Twitter, uma rede social onde tem 11,1 milhões de seguidores, para o logotipo da maçã, sem dizer nada. Num golpe de marketing pessoal e profissional e ainda mais subtil, deixou um twist: só quem está a utilizar um iPhone, um iPad ou um Macbook, produtos que só a Apple vende, é que pode ver o logo. Quem estiver noutro dispositivo, vai ver um quadrado com uma cruz, o que acontece quando o sistema operativo não reconhece um emoji, como esclarece o The Verge.

O nome de Tim Cook, como aparece agora no Twitter, visto num Macbook

Esta não foi a primeira vez que o atual presidente dos Estados Unidos da América trocou o apelido de um presidente executivo pelo da empresa que este gere. Em março de 2018, aconteceu o mesmo com Marillyn Hewson, que chamou de Marillyn Lockheed.