Rádio Observador

Audi

Q4 e-tron promete ser o SUV eléctrico que faltava

A Audi já tem no mercado o eléctrico e-tron, mas o futuro Q4 e-tron promete ir mais longe. É mais compacto, mais atraente, tem mais autonomia e tem a plataforma MEB, que promete ser mais eficiente.

A principal novidade da Audi no Salão de Genebra dava pelo nome de Q4 e-tron. Assumido ainda como protótipo, uma vez que vai ser produzido em Zwickau e sobre a mesma plataforma MEB que a VW vai estrear com o I.D. Neo, a que seguirá a Seat com o el-Born, isto não impediu os homens da Audi de admitir que o veículo exposto está tão próximo do produto de série quanto fisicamente possível.

A Audi já apresentou o seu primeiro eléctrico da nova geração, o SUV e-tron, modelo que se prepara para chegar ao mercado nacional um destes dias. Porém, este SUV de grandes dimensões (4,9 metros de comprimento) e preço a rondar os 80 mil euros, está baseado numa plataforma concebida para veículos com motores a combustão, adaptada para ter um fundo plano (sem o túnel de transmissão), onde possa alojar o pack de baterias de 95 kWh. Durante a apresentação a alguns órgãos de informação, no Dubai, foram conseguidos consumos próximos dos 29 kWh/100 km, o que coloca a autonomia bem abaixo dos 417 km anunciados pelo fabricante.

O segundo eléctrico da Audi deveria ser o e-tron GT, basicamente um Porsche Taycan mas mais elegante e baseado numa plataforma mais evoluída, a PPE, mas o novo CEO da marca alemã anunciou já um atraso de nove meses, fruto da Porsche ter realizado um trabalho menos bom com a PPE, a ponto de ser considerada internamente inferior à base do Model 3 da Tesla, um veículo comercializado a partir de 40.000€ na Europa, ou seja, por menos de metade do preço do Taycan, o que não abona a favor da capacidade técnica dos engenheiros da Porsche.

Menos mal que a Audi tem em carteira um outro eléctrico, um SUV denominado Q4 e-tron. Igualmente atraente e funcional, é ligeiramente mais curto do que o e-tron original (com 4,59 m de comprimento), mas tem a vantagem de estar baseado na plataforma MEB, concebida pela VW, que se tem revelado mais eficiente, barata e versátil, sem provocar reclamações das diferentes marcas do grupo que a vão utilizar, ao contrário do que aconteceu com a PPE.

O Q4 e-tron tem à sua disposição 306 cv, graças a um motor à frente de 102 cv e um segundo atrás de 204 cv, para assegurar tracção integral. A bateria tem uma capacidade de 82 kWh, provavelmente a maior que pode ser montada na MEB, que é capaz de assumir diferentes distâncias entre eixos, que lhe assegura uma autonomia de 450 km (em WLTP), necessitando depois de apenas 30 minutos para atingir 80% da carga, uma vez que se abastece com potências de até 125 kW.

O SUV eléctrico anuncia ainda uma velocidade máxima de 180 km/h e 0-100 km/h em 6,3 segundos. Mas o grande trunfo do Q4 e-tron é a sua estética atraente, tanto por dentro como por fora, como aliás pode ver aqui:

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)