Rádio Observador

Marcelo Rebelo de Sousa

Portugal atribuiu cidadania nacional ao príncipe Aga Khan

2.851

A decisão foi tomada há duas semanas, mas o anúncio só foi feito este domingo pelo Presidente da República. Aga Khan e o governo acordaram em 2015 instalar a sede mundial do Imamat Isamili em Lisboa.

JOÃO PORFÍRIOOBSERVADOR

Aga Khan, o 49.º Íman hereditário e líder espiritual dos muçulmanos xiitas ismaelitas, é o mais recente cidadão português. O anúncio foi feito pelo Presidente da República durante a cerimónia de encerramento dos Prémios Aga Khan para a Música, que decorreu em Lisboa este domingo. A atribuição da cidadania portuguesa foi aprovada pelo governo há duas semanas, mas só agora anunciada por Marcelo Rebelo de Sousa, e como reconhecimento pelas ações desenvolvidas pelo Príncipe em prol da República Portuguesa. “Estou muito orgulhoso em tê-lo como ciddão português, sendo ao mesmo tempo um cidadão do mundo”, disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Marcelo Rebelo de Sousa ao lado de Aga Khan na cerimónia de encerramento dos Prémios Aga Khan para a Música este domingo, em Lisboa

O relacionamento entre Portugal e Aga Khan desenvolveu-se de forma mais intensa a partir de 2015, depois de ter sido assinado o acordo bilateral que consagra que a sede mundial do Imamat Isamili, instituição liderada pelo Príncipe Aga Khan, ficará em Lisboa. Para instalar a sede, Aga Khan comprou à Universidade Nova de Lisboa o Palácio Henrique Mendonça — um edifício do início do século XX, classificado como imóvel de interesse público desde 1982. Depois das obras de reabilitação, vai acolher o gabinete do líder da comunidade, mas também a estrutura responsável pela Rede Aga Khan para o Desenvolvimento, em particular a Fundação Aga Khan.

A Rede Aga Khan para o Desenvolvimento começou a atividade em Portugal em 1983, através da Fundação Aga Khan Portugal, e é desde esse ano que o Imã tem um representante diplomático no país. A presença reforçou-se a partir de 2015 e tem sido visível na componente solidária da Instituição, desde a ajuda às vítimas dos incêndios de Pedrogão, à doação de obras de arte.

Recentemente, Lisboa foi o palco escolhido para a cerimónia de encerramento das celebrações do jubileu de diamante de Aga Khan.

A cerimónia de encerramento dos Prémios Aga Khan para a Música , no valor de 500 mil dólares, teve lugar na Fundação Gulbenkian. A cerimónia encerrou com um espetáculo final que reuniu nove vencedores, de seis categorias e oriundos de 13 países da Ásia, África, Médio Oriente, Europa e América do Norte. O egípcio Mustafa Said foi o grande vencedor na categoria de desempenho desta primeira edição dos prémios criados pelo Principe Aga Khan com o objetivo de promover a criação artística e musical de raízes islâmicas.

Espetáculo de encerramento dos Prémios Aga Khan para a Música, que decorreu este domingo em Lisboa

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: pbenevides@observador.pt
António Costa

Prioridades à la carte /premium

Alexandre Homem Cristo
386

Capaz de prometer tudo e o seu contrário, este PS de 2019, embriagado pela hipótese de uma maioria absoluta, não é diferente daquele PS de 2009, cuja soberba atirou um país para o abismo.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)