O ex-presidente do Peru que disparou sobre si próprio quando ia ser detido no âmbito do caso Odebrechet não sobreviveu aos ferimentos. Alan Garcia, que esteve internado em estado crítico depois do incidente que se deu em sua casa, na cidade de Lima, governou entre 2006 e 2011, e estava já proibido de sair do País desde novembro por suspeita de lavagem de dinheiro e tráfico de influências, no caso que envolve a construtora brasileira Odebrechet, a quem entregou a construção da linha de metro na cidade onde vive. Ainda sobreviveu a três paragens cardíacas, decorridas já na mesa de operações, mas no final acabou por não aguentar.

Martín Vizcarra, o atual governante deste país sul-americano, já utilizou a sua conta de Twitter para transmitir as suas condolências, bem como Nidia Vilchez, ex-Ministra da Mulher.

Segundo o El Pais, os agentes da Divisão de Investigação de Delito de Alta Complexidade deslocaram-se esta manhã de quarta-feira à residência do político, em Miraflores, para cumprir um mandado de detenção. Mas encontraram-no já ferido.

“A situação é muito crítica e grave”, disse a ministra da saúde peruana na altura. Segundo um comunicado do governo citado pelo El Pais, o político deu entrada nas urgências do hospital Casimiro Ulloa de Lima, às 6h45 (12h45 em Lisboa), e começou a ser operado ao cérebro (a bala entrou e saiu da cabeça) às 7h10.

Esta quarta-feira, a polícia deteve também Luis Nava, ex-secretário geral da Presidência e o ex-vice-presidente Miguel Atala.