PSD

Rui Rio atira-se ao CDS nos salários dos juízes: “Não contem com o PSD”

305

Líder do PSD considera que está a faltar "sentido de Estado" ao CDS ao possibilitar que os salários dos juízes possam ser mais altos do que o do primeiro-ministro e diz-se "convictamente contra".

Rui Rio já tinha manifestado oposição à proposta socialista e agora ataca também o CDS sobre o estatuto remuneratório dos juízes

PAULO NOVAIS/LUSA

Já se sabia que o PSD era contra permitir que os salários dos juízes possam ultrapassar o valor fixado para o primeiro-ministro, mas agora Rui Rio veio publicamente insurgir-se contra o CDS, o partido que mais recentemente o defendeu. Na sua conta oficial no Twitter, o presidente social-democrata que a posição do partido liderado por Assunção Cristas mostra “falta de sentido de Estado.

A reivindicação tem sido feita pela associação sindical dos juízes e o Governo e o PS acompanharam a posição propondo que a referência passe a ser o salário do Presidente da República, em vez de os salários dos magistrados estarem balizados pelos salários do primeiro-ministro, que é mais baixo. O CDS vem agora dizer que se junta a esta proposta e Rui Rio salta no ataque considerando que “não é difícil ser fraco com os fortes e forte com os fracos”. O líder do PSD diz-se mesmo “frontalmente contra” esta medida.

Esta quarta-feira, o Jornal de Negócios avançou a intenção dos democratas-cristãos em avançarem com um projeto, no âmbito da revisão do Estatuto dos Magistrados Judiciais, para calrificar aquele que já consideram ser um “princípio geral”. Ao jornal, a deputada do CDS Vânia Dias da Silva disse que o CDS vai “propor é que fique absolutamente claro, embora já decorra do princípio geral, que não se pode em nenhuma circunstância ultrapassar o salário do Presidente da República”.

A revisão do estatuto remuneratório dos juízes só tinha o apoio, até agora, dos comunistas — além do PS. O Bloco e o PSD opunham-se. O projeto do CDS abre agora a porta para que a alteração possa concretizar-se, já que, assim, há maioria no Parlamento.

Ao Negócios, a deputada centrista Vânia Dias da Silva defende que “os magistrados têm uma carreira, tem de haver possibilidade de avanço e o teto do primeiro-ministro estava a impossibilitar a progressão, era iníquo e não fazia sentido”. E diz que o que o CDS vai “propor é que fique absolutamente claro, embora já decorra do princípio geral, que não se pode em nenhuma circunstância ultrapassar o salário do Presidente da República”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rtavares@observador.pt
Eleições Europeias

Da recuperação da esperança

Filipa Osório

O único factor que efectivamente pode combater a abstenção é a qualidade política. Assim, é importante mostrar ao eleitorado não o prolongamento do sistema, mas sim as existentes alternativas.

Investimento público

A tragédia de Pedro Marques

Inês Domingos

Com um quadro Centeno confessou inadvertidamente como foi um dos principais responsáveis pelo desastre de atuação de Pedro Marques, sendo que este também não foi capaz de aplicar os fundos de Bruxelas

FC Porto

João Félix (e youth league) /premium

João Marques de Almeida
145

Uma mensagem para todos os portistas. Vamos dar os parabéns ao Benfica, esquecer os árbitros, ganhar ao Sporting na final da Taça e apostar nos nossos jovens jogadores nas próximas épocas. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)