Rádio Observador

Europa

Fotogaleria. Banhos com vista para a Torre Eiffel e mergulhos em fontes: a onda de calor na Europa

115

Enquanto em Espanha o conselho é não sair de casa com as temperaturas a chegar aos 44 graus, em Paris qualquer fonte serve para refrescar o corpo e em Berlim até os elefantes arranjam soluções.

Em Paris, dezenas de turistas estão a usar a Fonte Trocadéro em frente à Torre Eiffel, como piscina

AFP/Getty Images

Uma onda de calor está a atravessar a Europa e parece que um verão muito quente chegou mesmo para ficar. Pelo menos até ao início da próxima semana. Já em Portugal, as nuvens continuam a esconder o sol. Resta-nos ver a Europa a viver o seu calor — que deve começar a substituir as baixas temperaturas e o céu cinzento no nosso território a partir desta quarta-feira.

Ao longo da próxima semana, os termómetros de várias cidades europeias vão registar temperaturas que podem ultrapassar os 40ºC. Vários países podem mesmo registar temperaturas inéditas por causa desta massa de ar quente, proveniente do Saara.

Em Espanha, as autoridades aconselharam as pessoas a não sair de casa. Dez províncias espanholas estão em alerta laranja. No fim de semana, o alerta pode mesmo passar a vermelho — prevê-se que as temperaturas no país cheguem aos 44ºC. Não é o único país a recomendar alguns cuidados. Perante esta onda de calor sem precedentes nesta altura do ano as autoridades de vários países pedem à população para se manter dentro de casa com as janelas fechadas, evitar bebidas alcoólicas e exercício físico e, claro, beber muita água.

Em França, cerca de 50 escolas da zona de Paris fecharam esta quarta-feira por falta de ar condicionado e quase todo o país está agora em alerta laranja — o segundo mais elevado, noticia a BBC. Os meteorologistas preveem temperaturas recorde para esta semana. De acordo com o The Guardian, a temperatura mais alta registada no país foi de 44.1ºC, durante uma onda de calor em agosto. Até sexta-feira, a “canicule” (onda de calor) pode levar as temperaturas a atingir os 45º C. “As últimas previsões meteorológicas não deixam dúvidas: estamos à beira de um novo recorde nacional”, afirmou o meteorologista francês Guillaume Woznica.

E o mesmo pode acontecer um pouco por toda a Europa. Nenhuma das grandes capitais, como Roma, Berna ou Atenas, ficará abaixo dos 30ºC esta semana. Berlim, por exemplo, pode chegar aos 37ºC esta quarta-feira. Nem mesmo países como Suécia e Noruega parecem escapar à onda de calor.

Já na manhã desta quarta-feira, os termómetros atingiram os 31ºC em Paris e também em Roma, de acordo com o ABC. Às altas temperaturas, acresce um elevado nível de humidade — que faz as temperaturas parecerem ainda mais altas. Por cá, as temperaturas não deverão ir além dos 30ºC.

E no Reino Unido o sol também teima em não brilhar. Na verdade, o país está a ser atingido por várias tempestades torrenciais — que também se devem à massa de ar quente. Segundo o The Telegraph, as autoridades emitiram alertas para o perigo de inundações.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)