Donald Trump afirmou na quinta-feira que o navio de guerra USS Boxer tomou medidas defensivas e abateu um drone iraniano no estreito de Ormuz. “O drone foi imediatamente destruído”, assegurou o Presidente norte-americano. Já esta sexta-feira, o Irão negou as declarações de Trump e afirma que nenhum drone iraniano foi destruído.

Nós não perdemos nenhum drone no estreito de Ormuz nem em lado nenhum. Receio que o USS Boxer tenha destruído um dos próprios aparelhos por engano!”, escreveu o ministro-adjunto dos Negócios Estrangeiros do Irão, Seyed Abbas Araghchi, no Twitter.

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão também já tinha negado o ataque ao drone. De visita à sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, Mohammad Javad Zarif declarou: “Não temos informação sobre a perda de um drone”. 

Donald Trump diz que o aparelho ameaçou o navio norte-americano e a tripulação e apela a outros países que tomem medidas para protegerem as suas embarcações.

Esta é a última de muitas ações provocativas e hostis do Irão contra navios em águas internacionais. Os Estados Unidos têm o direito de defender o nosso povo, instalações e interesses e apela a todas as nações que condenem as tentativas do Irão de prejudicar a liberdade de navegação e comércio global”, declarou Trump na quinta-feira, explicando o porquê do ataque ao drone.

O Pentágono também fala em “ação defensiva” mas não confirmou se o drone pertencia ao Irão nem que meios foram utilizados para abater o aparelho.

O incidente ocorreu no mesmo dia em que o Irão apreendeu aquilo a que chamou “uma embarcação estrangeira” por estar a contrabandear petróleo no Golfo Pérsico.

(Artigo atualizado às 7h40 com as declarações do governo iraniano)