Rádio Observador

Presidente Trump

EUA podem aprovar nova lei que detém crianças migrantes por tempo indeterminado

Nova regra pode substituir o Acordo Flores, promulgado em 1997 e que define limite de 20 dias para manter crianças em centros de detenção de famílias que migraram ilegalmente para os EUA.

A administração disse que regulamentação é "crucial" para a contenção da imigração na fronteira sul, nomeadamente com o México, mas ainda precisa da aprovação federal para ter efeito constitucional

SOPA Images/LightRocket via Gett

A administração de Donald Trump revelou nesta quarta-feira um novo projeto-lei que poderá permitir a detenção por tempo indeterminado de famílias migrantes que atravessarem ilegalmente a fronteira, alterando uma lei de 1997 que fixa um limite e estabelece os termos em que deve ser feito o tratamento das crianças por parte das autoridades, avançou a imprensa norte-americana.

Esta é uma legislação que tem estado no centro de uma forte pressão por parte da Casa Branca, junto do Departamento de Segurança Interna. A ser aprovada, a legislação irá substituir a lei – conhecida como o Acordo Flores – que limita o período de detenção de crianças migrantes em 20 dias.

A administração Trump diz que a regulamentação é “crucial” para a contenção da imigração na fronteira sul, nomeadamente com o México. mas ainda necessita da aprovação federal para ter efeito constitucional.

O Presidente norte-americano Donald Trump já criticou em diversas ocasiões sobre o problema a que chama “deter e libertar”. Kevin K. McAleenan, secretário da Segurança Interna dos EUA, disse que é uma “regra crucial” que permitirá às autoridades deter famílias e, dessa forma, “proteger a integridade do sistema de imigração”. A ideia é poder passar a manter detidas as famílias até que sejam libertadas para um asilo que lhes seja concedido ou, em alternativa, que sejam deportadas para a origem.

Será possível manter famílias, detidas a atravessarem a fronteira ilegalmente, em centros de detenção familiar pelo tempo necessária. Especialistas nesta área dizem aos jornais norte-americanos que o processo pode durar entre três meses ou mais.

A extensão da lei foi proposta no último outono pela administração Trump, e está previsto que seja oficializada nesta semana, entrando em vigor daqui a 60 dias.

O limite de 20 dias, que consta no Acordo Flores, está em vigor desde 2015, sendo originalmente uma extensão de uma lei promulgada em 1997, depois do caso de um agente federal que terá abusado psicológica e fisicamente de crianças imigrantes detidas nos centros familiares da fronteira.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)