Pete Frates, o jogador de basebol do Boston College com a doença esclerose lateral amiotrófica (ASL) que inspirou o ice bucket challenge, morreu na segunda-feira, com 34 anos. A morte foi confirmada numa declaração partilhada pela sua família.

“Hoje, o céu recebeu o nosso anjo”, pode ler-se na declaração que reflete a coragem e resiliência de Pete Frates face à doença, o que o tornou numa “inspiração para pessoas de todo o mundo”.

O ice bucket challenge começou em 2014, escreve o The Guardian, quando Chris Kennedy, um golfista profissional, desafiou a prima da sua mulher, cujo marido tinha ASL, a fazer o desafio. A continuidade do desafio foi garantida por Pat Quinn, uma nova-iorquina com a doença, que quando descobriu o desafio começou a publicitá-lo. No entanto, só quando Frates e a sua família decidiram apoiar o desafio é que este se tornou viral, tendo várias personalidades, como Barack Obama ou Bill Gates, aderido ao desafio.

O objetivo era publicar um vídeo nas redes sociais a despejar um balde de água gelada pela cabeça e, dessa forma, atrair atenção para a esclerose lateral amiotrófica e angariar dinheiro em favor da associação ALS, para ajudar pacientes e investigadores no combate à doença, também conhecida por Lou Gehrig.

ALS  é uma doença neurodegenerativa progressiva que leva à paralisia devido à morte dos neurónios motores da espinal medula e do cérebro, não existindo ainda uma cura.