Com meio mundo fechado em casa, a tecnologia tornou-se ainda mais importante para garantir o normal funcionamento da Humanidade enquanto sociedade. Por muito que o distanciamento social ou a quarentena possam ser desestabilizadores do dia a dia normal, já são muitos os canais online que permitem encurtar a distância para com aquilo que até há uns meses tomávamos como garantido: ir ao ginásio, ver um concerto, assistir a uma conferência ou até participar numa aula.

Por esta altura já muitos devem estar a par de como funcionam as vídeochamadas e até das potencialidades festivas da app Houseparty. Mas há mais exemplos para seguir através de um ecrã com acesso à internet. Na lista que se segue estão alguns, descubra-os.

Música e entretenimento

Assim que os primeiros sinais mais graves do impacto deste novo coronavírus se começaram a sentir, o cancelamento de eventos e polos culturais aconteceu em catadupa. Uns atrás dos outros, festivais de música, peças de teatros, exposições e muito mais foram sendo adiados ou totalmente riscados, mas felizmente o mundo da cultura soube adaptar-se. No panorama português, o Festival Eu Fico Em Casa está a ser um tremendo caso de sucesso: reuniu uma série de atuações de músicos nacionais que, a partir das suas casas, deram canções aos seus fãs através de lives feitos através das suas contas de Instagram. No total, entre os dias 17 e 20 de março vão atuar 77 artistas. Na mesma onda nasceu também o português GigClub, plataforma de concertos e programas de autor em direto. E ainda o Play Safe.

Olhando para fora do país, destaque para a lista atualizada diariamente que o site da norte-americana Billboard está a fazer: lá vai poder encontrar informação em cima da hora de todas as atuações via streaming que artistas como Miley Cyrus, John Legend ou Coldplay vão fazendo.  A plataforma online Stageit também tem servido de portal para concertos online de artistas menos conhecidos.

Os fãs de música clássica também podem ficar contentes porque a Budapest Festival Orchestra instaurou um programa chamado Quarantine soiréesque consiste numa série de concertos diários, sem público, que são emitidos via internet a partir da sala de ensaios deste grupo musical. O pianista alemão Igor Levit também tomou a iniciativa de todos os dias transmitir um recital de piano através das suas redes sociais. Acompanhe a sua conta no twitter para se ir mantendo a par da programação.

O mundo inteiro deve muitas gargalhadas aos apresentadores e humoristas norte-americanos Jimmy Kimmel e Jimmy Fallon. Nesta altura, como forma de preservar o distanciamento social e zelar pela saúde pública, os seus programas foram colocados em stand-by — mas isso não os impede de continuar a fazer rir. Ambos têm apresentado os seus monólogos de abertura a partir de casa: Kimmel através da sua webcam, Fallon com a ajuda da mulher, que o gravou com um telefone. Fallon apresentará todas nas noites (em dias de semana) um novo monólogo e apoiará o banco alimentar Feeding America. Kimmel estará no ar no mesmo horário — ambos sempre através do YouTube.

Comida e bebida

Um pouco por todo o mundo têm sido vários os pedidos de ajuda vindos da área da restauração e hotelaria, que à conta do surto têm sido obrigados a fechar portas e/ou despedir pessoas. Mesmo assim, esta indústria tem procurado reinventar-se ou ajustar-se, seja através da venda de vouchers para os seus restaurantes (uma espécie de pague hoje pela refeição que terá quando tudo melhorar) seja através do take-away. No meio disso tudo vão existindo iniciativas como a do chef italiano Massimo Bottura, um dos mais conceituados do mundo (teve o seu restaurante, Osteria Francescana, duas vezes no primeiro lugar da lista dos melhores do mundo) que está a aproveitar esta situação para todos os dias dar aulas de cozinha através da sua conta oficial de Instagram. O “Kitchen Quarentine” é o programa onde ensina a fazer um molho bechamel do zero, uma salada peruana ou uma simples marmelada. Na companhia da família e todos os dias, por volta das 19h (hora de Portugal Continental), o cozinheiro explica como pode aquecer a barriga nestes tempos mais conturbados.

A revista de gastronomia norte-americana Cherry Bombe também tem aproveitado esta conjuntura para fazer uma série de sessões de esclarecimento sobre o panorama global da restauração e a forma que ele está a afetar a indústria, tudo através das suas redes sociais. Na série a que chamam de “Radio Cherry Bombe Live” já entrevistaram uma advogada especializada na área do trabalho para esclarecer dúvidas em tempo real. Tiveram ainda uma conversa com a chef Sophia Roe sobre dicas para se aproveitar tudo o que anda pela despensa e pode ser transformado em pratos incríveis.

Em Portugal há um projeto muito interessante chamado “Wine Hour @ Home”, projeto desenvolvido pela agência de comunicação Chefs Agency que pretende fazer com que os enófilos mais aguerridos possam “beber um copo” virtual com produtores de vinho (nacionais e internacionais) e sommeliers mais conceituados — tudo através das redes sociais (e, eventualmente, no YouTube, daqui a uns tempos). O projeto é muito recente: começou na passada quarta-feira, 18 de março, com um episódio zero, que incluiu os produtores Dirk Niepoort e Cláudio Martins e o sommelier Rudolfo Tristão. Estima-se que daí siga ao ritmo de uma sessão por semana. A ideia é assistir a provas comentadas feitas por quem mais percebe do assunto e lançar dúvidas sobre aquilo que se tem em casa (não é necessário ter os vinhos que o seu “convidado” está a beber).   

Saúde e bem-estar

Nunca como hoje a palavra “saúde” trouxe consigo um peso tão grande. A pandemia do novo coronavírus fez-nos ter ainda mais cuidado com a forma como preservamos a nossa e a dos outros que nos rodeiam. Todos aqueles que se encontram a lidar com uma infeção ou possível infeção devem recorrer ao importantíssimo trabalho do SNS (nunca é demais recordar que se tiver alguma suspeita deve contactar a linha SNS24 através do 808 242 424). Quem estiver doente mas sem ter nada a ver com a covid-19 pode, em alguns casos, continuar a ter acesso às suas consultas através de um ecrã. A seguradora Multicare dispõe de uma aplicação que possibilita consultas através de videoconferência e o Hospital da Luz também tem essa opção — deve sempre informar-se aqui ou aqui para saber o que tem de fazer para ter acesso a estes serviços. Em todo o caso, se tem alguma consulta agendada para os próximos dias através de clínicas ou profissionais especializados (privados e não só), fale com eles — pode haver a possibilidade de a fazer através de uma videochamada.  

Quem está a praticar o isolamento social pode também combater o sedentarismo com uma série de programas e streams que têm proliferado um pouco por toda a internet. Há dicas para quem quer fazer exercício físico em casa como as da personal trainer norte-americana Alexia Clark, que todos os dias, através das suas redes sociais, tem feito “diretos” onde explica treinos específicos para determinadas partes do corpo (esta quarta-feira foi dedicado ao trabalho de braços, por exemplo). Até é possível participar em aulas de yoga também elas feitas através do YouTube do estúdio norte-americano Yoga Heights, via streaming diário — só tem de aceder à emissão, esticar o seu tapete e começar a relaxar.

Em Portugal, a professora de yoga e coach de ayurveda Filipa Veiga também vai começou a fazer uma série de aulas diárias não só de yoga como também de exercícios de respiração, tudo gratuito e disponível através da sua conta de instagram. Estará disponível também, eventualmente, um outro tipo de aulas mais específicas que só serão acessíveis mediante pagamento — decorrerão na plataforma de streaming Zoom.

Também a cadeia de ginásios Holmes Place decidiu abraçar este tipo de aulas e vai também começar a transmitir lições, da Zumba aos alongamentos. Vá-se mantendo a par dos horários e das próprias aulas através da página oficial de Facebook do grupo, disponível aqui.

Religião

As cerimónias religiosas foram das primeiras a ser desincentivadas, em nome do combate à propagação do novo coronavírus. Apesar do contratempo, várias fés conseguiram adaptar-se à limitação e optaram pela transmissão via internet, em direto. O Patriarcado de Lisboa, por exemplo, decidiu publicar uma lista de celebrações religiosas católicas que serão transmitidas online ou pela televisão nos próximos dias, isto no seguimento das recomendações feitas pela Conferência Episcopal “face à situação de saúde pública em Portugal”.

A Comunidade Hindu de Portugal também já alinhou nas cerimónias religiosas transmitidas em direto. Depois darem ordem para o encerramento do templo e todos os espaços a ele conectados, decidiu começar a fazer transmissões muito frequentes da cerimónia Aarti, um ritual religioso que celebra a humildade e gratidão perante as divindades. As transmissões são frequentes por isso pode sempre acompanhar a atualidade através da sua página de Facebook. Também acontecem transmissões de atividades paralelas como aulas de danças orientais, por exemplo. Ah, também divulgaram os folhetos da Direção-Geral de Saúde em hindi.