A Jaguar Land Rover (JLR), o maior fabricante automóvel do Reino Unido, cedeu mais de 160 veículos para apoiar organizações que respondem ao estado de emergência despoletado pelo novo coronavírus um pouco por todo o mundo. Portugal e Espanha foram contemplados com um total de 20 veículos que passam a integrar a frota da Cruz Vermelha de cada país.

O Reino Unido é (naturalmente) o mais beneficiado pelo apoio do grupo britânico, que colocou à disposição da Cruz Vermelha local 57 viaturas, incluindo 27 novos Defender que faziam parte da frota de imprensa e que, assim, deixaram de ser veículos de ensaio para assumir o papel de meios de transporte daquilo que é prioritário: a entrega de medicamentos e de alimentos aos cidadãos em estado mais vulnerável.

Mas o apoio da JLR não se fica pela locomoção, na medida em que o grupo controlado pelos indianos da Tata diz estar também a colaborar directamente com o Executivo liderado por Boris Johnson, no sentido de ajudá-lo a encontrar respostas rápidas e eficazes para combater a pandemia, nomeadamente partilhando com o Governo britânico o seu conhecimento e “experiência em investigação e engenharia, bem como engenharia e design industrial, impressão de modelos e protótipos 3D, machine learning, inteligência artificial e data science”.

Também no Reino Unido, três hospitais (Royal Bolton Hospital, St James’s Hospital e Birmingham Children’s Hospital) receberam uma doação de material de protecção por parte da JLR, que procedeu de igual forma em Espanha, onde a rede oficial de concessionários da Jaguar e da Land Rover está a oferecer às delegações locais da Cruz Vermelha “todo o material disponível de protecção que tinham nas suas instalações”, revela o comunicado enviado às redacções.

Além do Reino Unido, de Portugal e de Espanha, também a Cruz Vermelha da Austrália, África do Sul e França recebeu viaturas da JLR. “Em breve, serão cedidos mais carros no Reino Unido e em outros países”, promete o grupo automóvel britânico.