O Departamento da Saúde catalão emitiu um documento com recomendações sobre o uso de equipamentos médicos durante a pandemia de Covid-19. Segundo esta documentação, a que a Cadena Sera teve acesso, o pessoal médico deve decidir o uso de ventiladores consoante a idade do doente, o seu estado funcional e historial médico, nomeadamente se sofre ou não de doenças crónicas.

No caso de pacientes com mais de 80 anos, o Departamento aconselha que estes não sejam entubados, e que o tratamento seja feito com recurso a uma máscara de oxigénio. No caso de não haver melhorias, pode optar-se pelo uso de morfina para aliviar a sensação de falta de ar, de acordo com a Cadena Sera. O mesmo se aplica aos que têm entre 75 e 80 anos, a não ser que sofram de algum problema crónico. Nessa caso, o Departamento da Saúde catalão aconselha o uso de ventilação.

Estas são apenas algumas das medidas que o governo catalão tomou para lidar com o aumento exponencial de casos na região. Apesar de ainda não o ter admitido, este espera que os recursos sanitários se esgotem nos próximos dias, refere o jornal El Mundo. Por essa razão, emitiu uma série de diretrizes dirigidas aos profissionais de saúde que incluem a sugestão de não se recorrer ao internamento nos casos mais graves.

Segundo o El Mundo, deve evitar-se a hospitalização dos casos mais graves. “A idade é o critério mais importante”, refere o mesmo documento, “mas não deve ser o único”.

Condutores de ambulâncias devem explicar que “morte em casa é melhor opção”

No seguimento destas diretrizes, foram enviadas aos condutores de ambulâncias indicações sobre o que deverão dizer aos familiares das pessoas que não poderão ser encaminhadas para o hospital. Também de acordo com o El Mundo, o protocolo sugere que não se façam referências ao facto de não existirem camas suficientes nos cuidados intensivos dos hospitais e que se explique que “a morte em casa é, nestes casos, a melhor opção”.

De igual modo, deve-se dissuadir os familiares da ideia de que a hospitalização é um “bem” para “evitar sofrimento”. “Não estamos a decidir quem vive e quem morre, apenas quem pode benficiar de tratementos mais agressivos”, alertou o Departamento da Saúde da Catalunha.

Catalunha admite que número de mortos pode ser superior ao confirmado oficialmente

Estas notícias surgem depois de, na terça-feira, o mesmo Departamento ter admitido que o número real de mortos pode ser superior ao divulgado, porque este só inclui os doentes que morreram nos hospitais e que foram diagnosticados previamente. O governo está neste momento a trabalhar com as agências funerárias para tentar criar uma estimativa mais próxima da realidade, informou o mesmo organismo.

Esta quarta-feira, foram confirmados 102.136 casos do novo coronavírus em Espanha, mais 7.719 do que no dia anterior. A Catalunha é a segunda região com mais casos, logo a seguir à de Madrid. Nas últimas 24 horas, a doença fez mais de 800 vítimas mortais, um novo pico desde o início da pandemia. O número total de mortos é 9.053. Espanha é o terceiro país do mundo mais afetado pela Covid-19 e o segundo da Europa.