O presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreira, publicou um post no Facebook, esta sexta-feira, a deixar bem claro que “não vai permitir” as habituais comemorações do 25 de Abril, do 1º de Maio e do 10 Junho em Cascais. “Quem quiser comemorar, comemora em casa”, sugere ainda Carlos Carreira, que admite já as ter cancelado há uns dias.

Face às restrições impostas para combater a propagação da Covid-19, o autarca assume que manter as celebrações a nível nacional é um “enorme erro que rasga o consenso e a confiança que tem presidido ao combate a esta pandemia”.

O presidente de Cascais vai mais longe e considera uma “ofensa” a todos os que estão a passar este momento negro. E não poupa críticas a quem tomou a decisão de manter as cerimónias. “Indecoroso e um péssimo exemplo que vem de cima, e a liderança afirma-se pelo exemplo”.

Este ano, devido à pandemia da Covid-19, o tema das comemorações do 25 de Abril e do 1º de Maio não reúne consenso. Esta sexta-feira, o Presidente da República reafirmou que irá participar na sessão comemorativa do 25 de Abril no parlamento, “com um número exíguo de deputados”, e do 10 de Junho, numa “cerimónia simbólica” junto ao Mosteiro dos Jerónimos.

Na conferência de líderes, que teve lugar na quarta-feira, foi decidido por maioria manter a sessão solene do 25 de Abril na Assembleia da República, mas apenas com um terço dos deputados e com convidados nas galerias. O PAN propôs o recurso à videoconferência e a Iniciativa Liberal a presença de apenas um deputado por partido, enquanto o CDS-PP e o Chega foram contra.