Os acionistas da Toyota Caetano não aprovaram a proposta de distribuição de sete milhões de euros em dividendos relativos aos lucros de 2019.

Em comunicado após a assembleia geral, a empresa sinaliza que o ponto referente ao pagamento de dividendos, correspondentes 0,20 euros por ação, não foi aprovado por unanimidade, por proposta alternativa do acionista Salvador Caetano, no sentido de que este valor seja transferido para resultados transitados. A empresa, que teve lucros de 11,6 milhões de euros no ano passado, refere apenas que aguarda “uma melhor oportunidade para a sua distribuição”, sem explicar porque não foi feita.

A Toytoa Caetano tem a unidade de produção automóvel em Ovar, onde trabalham cerca de 200 pessoas que foi especialmente afetada pela cerca sanitária imposto logo no início da pandemia de Covid-19 e só recentemente levantadas. A produção desta unidade que faz a montagem do Toyota Land Cruiser série 70 — parou desde meados de março e esteve abrangido pelo layoff.

De acordo com notícias recentes, o grupo Salvador Caetano suspendeu a produção em várias unidades, devido à queda de procura. Segundo informação avançada à Lusa no dia 17 de abril, cerca de 800 trabalhadores do grupo Salvador Caetano estavam à data em situação de layoff, parcial ou total, em particular na unidade que fabrica autocarros, a Caetano Bus, que se localiza em Vila Nova de Gaia.

As regras deste instrumento de apoio ao emprego, financiado parcialmente pela Segurança Social, impedem as empresas que dele beneficiarem de pagarem dividendos aos acionistas durante o recurso ao layoff.