A Associação de Teatro e outras Artes (ASTA) integra um projeto internacional que tem como principal objetivo utilizar as artes contra a violência de género, anunciou esta segunda-feira a companhia com sede na Covilhã, distrito de Castelo Branco.

Com o nome “DEEP ACTS – Developing Emotional Education Pathways and Art Centered Therapy Services Against Gender Violence” (“Desevolvendo caminhos de educação emocional e serviços de terapia centrados na arte contra a violência de género”, em tradução livre), o projeto arranca em Sevilha, Espanha, e é financiado pelo Programa Direitos Europeus, Igualdade e Cidadania, tendo duração de dois anos.

Segundo a ASTA, será desenvolvido por uma parceria transnacional que envolve estruturas de Espanha, Itália e Portugal, sendo realizado, respetivamente, em Sevilha, Bolonha, Turim e Covilhã. “O principal objetivo é a prevenção da violência de género através da criação de metodologias de intervenção e disseminação de ferramentas baseadas na educação emocional e arteterapia”, é referido. A informação frisa que estão previstas diversas ações e que serão ministrados várias oficinas e proferidas várias conferências.

Ao nível artístico será criada uma peça de teatro, bem como um vídeo documental e uma exposição. O projeto será desenvolvido num consórcio liderado pela associação italiana Bus Stop, de Turim, a cooperativa espanhola RUMBOS, de Sevilha, a associação italiana Nuovo Comitato, de Gubbio, criada pelo Nobel da Literatura Dario Fo, e a Nuovi Linguaggi, de Loreto, bem como a ASTA, em representação de Portugal.

Colaboram ainda no projeto a Associação Espanhola de Educação Emocional e a Associação de Mediadores Interculturais da Roménia.

Além do DEEP ACTS, a ASTA integra atualmente três projetos europeus de investigação, que juntam as artes a várias áreas da sociedade: o RapKOUR, projeto que utiliza o rap e o parkour contra a exclusão social, o TIM – Thetare in Mathematics, que visa a utilização do teatro como ferramenta de ensino da matemática, e o projeto ESCAPE, que recorre ao teatro, dança e música para fomentar novas metodologias de ensino dentro dos estabelecimentos prisionais.