Tal como prometido, a Lamborghini revelou a surpresa que tinha prometido e, tal como esperado, trata-se da versão descapotável do Sián Coupé.

Contudo, nem por isso o construtor transalpino deixou de surpreender, pois o Sián Roadster não só consegue ter todos os atributos da versão com carroçaria fechada, como ainda lhe acrescenta um toque de maior exclusividade, já que só serão produzidas 19 unidades. Muito menos, portanto, do que as 63 alocadas ao Coupé, cada uma delas a custar 3,3 milhões, o que leva a crer que o preço de cada Sián Roadster colocará a fasquia (ainda) lá mais em cima – nada que tivesse impedido a marca de anunciar que, à semelhança do que aconteceu em Setembro de 2019 com a versão fechada, também esta versão aberta já estava esgotada antes mesmo de ser apresentada.

Senhor de uma imagem impactante, o Sián Roadster exala performance e potência, com detalhes do design exterior a remeterem para o Countach, como é o caso dos farolins, por exemplo. De resto, se exterior impressiona ao melhor estilo “Lambo”, o interior não lhe fica atrás, revelando uma atenção ao detalhe que quem gasta mais de 3,3 milhões gosta de receber. Segundo a marca, os proprietários de cada uma das 19 unidades que serão fabricadas são convidados a personalizar a seu bel-prazer o superdesportivo, das cores aos revestimentos, dos detalhes aos acabamentos. E, indo ao pormenor, como as saídas de ventilação que são impressas em 3D, o cliente até pode pedir para que seja impresso o nome de quem passou o cheque.

Quanto a prestações, o registo mantém-se similar ao coupé, até porque o conjunto motopropulsor é o mesmo: sob o capot, encontra-se uma mecânica híbrida que associa um V12 a gasolina de 6,5 litros com 785 cv, a um motor eléctrico de 34 cv, alimentado por um supercondensador a 48V, que se encontra integrado na transmissão – uma caixa automática de sete relações. Segundo a marca, a unidade eléctrica e o supercondensador não excedem os 34 kg, um peso-pluma face ao tradicional recurso a baterias de iões de lítio. Diz a Lamborghini que a potência é três vezes superior para o mesmo peso e este é três vezes inferior ao que pesaria uma bateria com a mesma capacidade.

Com tracção às quatro rodas, o Sián Roadster vai de 0 a 100 km/h em 2,9 segundos (o coupé ganha-lhe um décimo de segundo) e a velocidade máxima excede os 350 km/h. Não é no arranque parado que se sentem as vantagens da hibridização – basta lembrar que o Ferrari SF90 Stradale de 2013 passa pela barreira dos 100 km/h em 2,6 segundos -, mas sim a baixa/média velocidades. A partir dos 130 km/h, o motor eléctrico deixa de apoiar o bloco a gasolina naturalmente aspirado, sendo que manobras a baixa velocidade podem ser feitas em modo EV. Nada como fazer marcha-atrás sem dar nas vistas ou estacionar no maior dos silêncios – se bem que, de Lamborghini Sián, é quase impossível passar despercebido.