Rádio Observador

Lamborghini

Acabou-se! Não há mais Sián para ninguém

A marca italiana leva a Frankfurt o seu primeiro superdesportivo electrificado que, não por mera coincidência, é também o mais potente de sempre. Há 819 cv à solta, mas mais ninguém os pode apanhar…

Depois de se render aos SUV, porque era isso que os clientes queriam (as vendas comprovam-no), a Lamborghini dá os primeiros passos na electrificação com o Sián. Porque também é isso que os clientes querem. Fá-lo sob a forma de um superdesportivo com um design arrebatador e uma potência a condizer, numa edição tão limitada que justifica um preço a partir de 3,3 milhões de euros. A quantia pode depois crescer, à medida da vontade de cada um em personalizar o seu Sián, e não inibiu o interesse no produto, pois a Lamborghini anuncia que todos os 63 exemplares a serem produzidos já têm dono.

Senhor de uma estética apaixonante, o Sián evoca o design do Countach, embora não deixe de nos trazer à memória o arrojado concept Terzo Millennio. É certo que não é tão vertiginoso nas linhas, mas a verdade é que continua a destilar músculo e a impressionar pela agressividade da sua imagem. O que, convenhamos, acaba por casar bem com o que se encontra sob o capot: o V12 mantém-se ao serviço, mas conta com o apoio de um sistema mild hybrid que lhe permite debitar mais potência quando o acelerador é esmagado. Significa isto que, aos 785 cv às 8.500 rpm entregues pelo bloco de 6,5 litros naturalmente aspirado, o Sian pode somar os 34 cv de um motor eléctrico alimentado por um supercondensador a 48V, que se encontra integrado na transmissão. A potência combinada é de 819 cv, sendo transmitida às quatro rodas por via de uma caixa automática de sete velocidades.

A decisão da Lamborghini em recorrer a um supercondensador, em vez de uma bateria convencional para alimentar o seu sistema híbrido, deve-se ao seu menor peso e volume, o que permitiu à marca italiana não prejudicar o comportamento do seu primeiro superdesportivo electrificado. Simultaneamente, o supercondensador possui um tempo de vida cerca de 100 vezes superior, sendo ainda capaz de carregar e descarregar de forma muito mais rápida, o que tem tudo a ver com o Sián. Contudo, não disponibiliza ao condutor uma densidade energética capaz de lhe permitir um modo de condução eléctrico durante alguns quilómetros.

Os números não deixam margem para dúvidas: em Frankfurt, surgirá aos olhos do público o primeiro Lamborghini a ceder à electrificação e, também, o mais potente. Se bem que, comparando com o Aventador SVJ (780 cv), as prestações reclamadas pelo Sián acabem por não reflectir muito o boost de que foi alvo. Ambos superam a barreira dos 100 km/h ao fim de escassos 2,8 segundos, pelo que as maiores diferenças só se conseguem apurar de cronómetro ao pulso. Para ir dos 30 aos 60 km/h, o Sián precisa de menos 2 décimos de segundo face ao Aventador SVJ e, ao galgar dos 70 aos 120 km/h, ganha-lhe 1,2 segundos.

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)