Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Uma deputada do Partido Nacional Escocês do Parlamento britânico está suspensa por viajar de comboio, após ter testado positivo à Covid-19 enfrenta agora várias vozes a pedirem a sua demissão avança a BBC.

Margaret Ferrier já pediu desculpa por quebrar as regras do país de combate ao vírus e por ter demorado dois dias a comunicar que estava infetada à sua bancada parlamentar. Teve sintomas no sábado dia 26 de setembro e por isso decidiu fazer o teste. Ainda assim, viajou para Londres na segunda feira, tendo feito um pequeno discurso no parlamento. Foi no final desse dia que recebeu o resultado, não estando apurado se antes ou depois da sua intervenção.

Na manhã de terça feira seguinte fez a viagem de retorno à Escócia, agora com a confirmação de infeção. São mais de 600 quilómetros que separam o ponto de partida e o ponto de chegada, num total de 5 horas e 40 minutos de comboio. Desde então, encontra-se isolada.

Quando na tarde de quarta feira informou que tinha testado positivo, foi assumido que fizera o teste depois do regresso à Escócia. No entanto, na manhã de quinta feira descobriu-se que, na verdade, o teste tinha sido realizado no sábado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A revelação provocou “descrença e fúria” entre os outros membros do Partido Nacional Escocês, sendo que alguns tên estado mesmo a pedir a demissão de Margaret. Já o líder do Partido, Nicola Strugeon disse que as regras se aplicam a todos e que existem para manter as pessoas a salvo.

De acordo com a polícia escocesa, a deputada pode enfrentar uma investigação e possível multa.

Numa publicação no twitter, Ferrier pediu desculpa, dizendo que foi um erro falar no parlamento depois de ter tido sintomas e viajar de comboio após ter testado positivo para Covid-19.

Margaret Ferrier tem 60 anos e está no Parlamento britânico desde 2015, tendo perdido o seu lugar em 2017 e sido reeleita no ano passado.