O Facebook retirou um post publicado por Donald Trump esta terça-feira, por este ter “informação incorreta sobre a gravidade da Covid-19”, ao passo que o Twitter manteve a mesma publicação mas sobrepôs-lhe uma nota em que diz que aquela mensagem “violou as regras do Twitter sobre a disseminação de informação enganadora e potencialmente prejudicial relacionada com a Covid-19”.

No post em causa, Donald Trump alertava para a chegada da “época da gripe”, referindo que, apesar de aquela doença ter vacina, ela “às vezes mata mais de 100 mil pessoas”. “Vamos fechar o país? Não, aprendemos a viver com isto, tal como estamos a aprender com a Covid, que é em muitas populações bem menos letal!!!”, escreveu Donald Trump.

Da parte do Facebook, a decisão foi justificada aos media com uma simples nota: “Nós removemos informações incorretas sobre a gravidade da Covid-19, e agora removemos este post“.

O mesmo já tinha acontecido no Facebook quando, em agosto, Donald Trump escreveu naquela rede social que as crianças eram “virtualmente imunes” à Covid-19. O post foi retirado, com o Facebook a dizer que tomou essa decisão por aquela publicação conter “afirmações falsas sobre um grupo estar imune à Covid-19, o que representa uma violação da nossa política sobre desinformação prejudicial sobre a Covid”.

Quanto ao Twitter, o post de Donald Trump continuou a aparecer mas com uma nota por cima onde se lê: “Este tweet violou as regras do Twitter sobre a disseminação de informação enganadora e potencialmente prejudicial relacionada com a Covid-19. No entanto, o Twitter determinou que pode ser o interesse do público que este tweet continue acessível”.

Este está longe de ser o primeiro post de Donald Trump a receber este tratamento no Twitter. Por exemplo, a 19 de junho o Presidente dos EUA publicou um vídeo adulterado (de maneira a parecer que um bebé negro fugia de um bebé branco) e que o Twitter disse tratar-se de um conteúdo “manipulado”.

Noutra ocasião, a 23 de junho, Donald Trump dizia que não permitiria a criação de uma “Zona Autónoma” por parte de manifestantes em Washington D.C., em alusão à que foi declarada por manifestantes da extrema-esquerda em Portland. “Se tentarem vão ser enfrentados com força séria”, escreveu Donald Trump, comentário que o Twitter entendeu ser um “comportamento abusivo”.