Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Se a pandemia o permitir está para breve o regresso do Presidente dos afetos. Marcelo Rebelo de Sousa vai retomar as suas “presidências abertas” ao estilo de Mário Soares — a que chama de “Portugal Próximo” — já no próximo mês de maio, no Minho. Fonte próxima do Presidente explicou ao Observador que a opção por terras minhotas está relacionada com o facto de ser o território que o chefe de Estado “menos visitou” no primeiro mandato. Seguem-se outras zonas do território nacional, embora, alerta a mesma fonte, “as deslocações dentro do país dependam sempre do evoluir da pandemia”. A situação pandémica também irá ser decisiva para o Presidente concretizar o plano de visitar “um ou dois países dos PALOP” em maio. Até lá, a ação de Marcelo centra-se em três letras: PRR.

Ao planear o desconfinamento unipessoal já no próximo mês, Marcelo Rebelo de Sousa está a dar o seu voto de confiança ao plano de desconfinamento do Governo que, segundo tem dito, “espera-se que corra bem”. Enquanto não retoma as suas jornadas de proximidade de uma forma mais regular e intensa, o Presidente vai continuar a ir a “centros de dia” e outras deslocações mais pontuais, que incluem uma ida a Setúbal já no próximo fim-de-semana.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.