Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A muito aguardada auditoria do Tribunal de Contas ao financiamento público do Novo Banco foi publicada esta segunda-feira, cumprindo-se assim uma exigência do PSD e de outros partidos da oposição (BE, PCP e PAN) para autorizar, no parlamento, uma injeção de até 476 milhões de euros no banco.

Apesar das falhas apontadas pelo Tribunal de Contas em todo este processo, tanto o Fundo de Resolução como o Banco de Portugal já vieram dizer que esta não é impedimento à “normal execução dos contratos”, ou seja, ao pagamento deste ano ao Novo Banco ao abrigo do Acordo de Capitalização Contingente.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.