Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Até ao final de Fevereiro do próximo ano, os 40 postos de carregamento para veículos eléctricos que o Lidl já disponibiliza nas suas lojas vão ser reforçados com a adição de mais 60, para uma cobertura de Norte a Sul do país, inclusivamente com ligação a Espanha, anunciou a cadeia alemã.

“Numa óptica de democratização do acesso, os novos postos estarão localizados em todas as capitais de distrito”, informa o Lidl, realçando que este investimento corresponde a “mais do que duplicar” a instalação de postos de carregamento, alguns dos quais de carga rápida, como o que passou a equipar recentemente a renovada loja de Vila do Conde, onde dois carros eléctricos podem ser recarregados em simultâneo. “Este posto multi-standard e de carregamento rápido possibilita uma recarga de 80% da bateria em apenas 30 minutos, o que permite o abastecimento durante uma ida regular às compras”, sublinha a empresa.

Para promover uma mobilidade de baixo impacto ambiental, o Lidl assegura ainda que a electricidade fornecida nos seus pontos de carga será exclusivamente proveniente de fontes renováveis, para garantir uma energia 100% verde. Daí que o projecto de expansão da rede seja apoiado institucionalmente pelo Ministério do Ambiente e da Acção Climática.

O Lidl começou a equipar as suas lojas com postos de recarga para veículos eléctricos em 2017. Na altura, apenas foram contempladas três superfícies comerciais: Abóboda (Cascais), Sacavém (Loures) e S. Mamede de Infesta (Matosinhos). A ampliação da cobertura arrancou em Lisboa há um ano, em Junho de 2020. Agora inicia-se a segunda fase, que prevê a instalação de postos de carregamento “não só nas maiores cidades, mas sim em todas as capitais de distrito” do país.

No centro e a sul do País, o Lidl reforçará a sua oferta em Coimbra, Sintra, Loures, Sesimbra, Seixal, Sines, Faro, Tavira e Beja, entre outras cidades. A estas juntam-se o Porto, Matosinhos, Vila Nova de Gaia, Maia e Figueira da Foz, sendo que também Monção, Barcelos, Vagos, Famalicão, Espinho, Portalegre e Gouveia passarão a disponibilizar postos de carga. A taxa de operação é de 0,08 cêntimos por minuto, não sendo cobrada qualquer taxa adicional.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR