Obrigado por ser nosso assinante. Usufrua de leitura ilimitada deste e de todos os artigos do Observador.

Na sexta-feira à noite, 25 mil pessoas juntaram-se na Cidade Universitária, em Madrid, numa festa na rua com bebidas alcoólicas, naquilo a que em Espanha se dá o nome de botellón. Como avançou o El País, o encontro terá sido combinado através de grupos de WhatsApp, não tendo a polícia local sido avisada e, consequentemente, ter dispersado a multidão.

[Abaixo, um dos vídeos partilhados nas redes sociais]

O evento aconteceu perto da faculdade de Direito da Universidade Complutense de Madrid e não foram cumpridas as medidas de distância de segurança ainda em vigor devido à pandemia de Covid-19. Devido à espontaneidade, as forças de autoridades apenas limitaram-se a garantir que não havia incidentes maiores, tendo estado no local desde a meia-noite ate às sete horas da manhã.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em Espanha, 3.000 juntaram-se para festejar o desconfinamento. O “botellón” indignou o país

Em comunicado, a polícia afirmou que “em nenhum momento a universidade foi notificada, nem foi oferecida informação prévia “. Só após as 11 horas da noite é que “é recebida uma cópia de um email enviado à Delegação do Governo, em duas caixas de correio administrativas (não operacionais) da Polícia Municipal” no qual é referido que há “milhares de pessoas já na zona”, refere o mesmo comunicado.

Um porta-voz da Delegação do Governo negou tivesse havido qualquer notificação . “Havia membros da Polícia Nacional na zona, mas só podiam agir se houvesse um problema de distúrbios e a Polícia de Madrid o solicitasse e isso não aconteceu”, referiu o mesmo responsável.

Este domingo, a conta oficial de Twitter da Complutense partilhou um vídeo no qual se vê o lixo deixado no chão após este botellón. “É esta a imagem que queremos da nossa universidade?”, questiona-se. Atualmente, a região de Madrid acumula cerca de 100,72 casos positivos de Covid-19 por 100 mil habitantes.