760kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Agravamento de IUC proposto pelo Governo caiu. Carros a gasolina terão subida percentual de IUC maior que veículos a gasóleo em 2024

O IUC vai subir mais, percentualmente, nos carros a gasolina do que nos veículos a gasóleo. Isto porque o adicional ao IUC se mantém nos mesmos valores. A proposta do Governo para o IUC caiu.

O lider parlamentar do Partido Socialista (PS), Eurico Brilhante Dias, intervém durante o debate sobre o estado da Nação na Assembleia da República em Lisboa, 20 de julho de 2023. TIAGO PETINGA/LUSA
i

TIAGO PETINGA/LUSA

TIAGO PETINGA/LUSA

A pretensão de Fernando Medina de agravar o imposto único de circulação (IUC) a carros anteriores a 2007 caiu. O Parlamento já votou a proposta do PS que elimina esse agravamento que em alguns casos chegava a duplicar, mesmo com a norma travão que impedia um aumento de mais de 25 euros por cada ano de aplicação da nova fórmula para carros mais poluentes.

IUC vai aumentar 25 euros ou 1000%? A segunda conta pode demorar até 10 anos a chegar

Apesar de todos os partidos terem proposto a eliminação desse agravamento foi a proposta de alteração colocada pelo PS quase a terminar o prazo para entrega de mudanças à proposta do Governo para o Orçamento do Estado de 2024 que vingou. Nela estão contidas as novas taxas de IUC a vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

PS “retifica” proposta de Orçamento e deixa cair aumento do IUC para automóveis até 2007

Essas taxas são agravadas em 2,9% em todas as categorias. No entanto, como se mantém o valor do adicional do IUC para os carros a gasóleo, no final e entre a subida das taxas de IUC e o adicional estes carros vão acabar por ter uma subida de imposto, em percentagem, até menor do que acontece nos carros a gasolina.

Segundo simulações feitas pela PwC para o Observador, essa diferenciação é visível.

A PwC realça que “para 2024, em termos percentuais, a subida do IUC em veículos a gasóleo é inferior quando comparada a veículos a gasolina, dado que o adicional do IUC nunca foi atualizado desde a sua criação (Orçamento do Estado de 2015)”.

Assim, por exemplo um Fiat Uno de 1988 a gasolina vai ter um agravamento de 2,9% no IUC (para 17,49 euros), enquanto um Ford Fiesta de 1988 terá uma subida de 2,5% para 14,53 euros.

[Já saiu: pode ouvir aqui o terceiro episódio da série em podcast “O Encantador de Ricos”, que conta a história de Pedro Caldeira e de como o maior corretor da Bolsa portuguesa seduziu a alta sociedade. Pode ainda ouvir o primeiro episódio aqui e o segundo episódio aqui.]

No âmbito da proposta para o Orçamento do Estado, o Governo pretendeu o agravamento do IUC para carros e motos matriculadas antes de 2007, por incluir na sua fórmula a componente ambiental que está então ausente. O que levaria a que alguns contribuintes acabassem por pagar mais do dobro em 2024 em IUC, conta que subiria em alguns casos a mais de 1000% se considerados todos os anos de ajustamento. Em alguns casos o ajustamento levaria oito ou nove anos a ficar concluído, já que o Governo colocava um travão de 25 euros por ano para a subida, para que o agravamento não fosse feito em apenas um ano. Este agravamento custaria ao Estado 84 milhões de euros.

Agora, em sede de especialidade, a medida caiu. E caiu depois da demissão de António Costa como primeiro-ministro, tendo levado o Presidente a convocar eleições legislativas para 10 de março, mas só dissolverá a Assembleia da República depois de aprovado o Orçamento do Estado para 2024, documento que terá votação final global na quarta-feira.

Eurico Brilhante Dias, líder parlamentar socialista, quando anunciou a proposta do PS de deixar cair o agravamento proposto pelo Governo garantiu que os “deputados do PS sempre entenderam que deviam fazer proposta de alteração, mas com as eleições antecipadas e considerando que o efeito da medida seria sentido por vários anos, o que seria razoável não era uma medida de mitigação, porque poderia ser insuficiente, mas sim apresentar supressão”. E defendeu que o próximo período eleitoral é o tempo adequado para promover um debate alargado sobre a fiscalidade verde justa.

Recuo na subida do IUC é eleitoralista? PS diz que ia propor mexidas mesmo sem eleições

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.