O que esperar da rentrée literária? Pilhas e pilhas de (bons) livros

03 Setembro 2016498

Com o início de setembro, as editoras apressam-se a anunciar as novidades para a nova temporada literária. A lista é longa, mas prometemos que vale a pena dar uma vista de olhos.

Livros de ficção

Setembro

Para a Elsinore, o mês não podia começar melhor. Depois de Vozes de Chernobyl, a editora irá publicar A Guerra Não Tem Rosto de Mulher, de Svetlana Alexievich, vencedora do Prémio Nobel da Literatura em 2015. Publicado pela primeira vez em 1985, o romance revela o papel das mulheres na linha da frente da Segunda Guerra Mundial, que a história tentou silenciar.

Svetlana Alexievich dedicou quatro anos da sua vida a A Guerra Não Tem Nome, o seu livro de estreia, para o qual realizou uma extensa pesquisa e várias entrevistas. Em 2002, sem o peso da censura, voltou a reescrevê-lo, acrescentado excertos que se viu obrigada a retirar em 1985. A edição da Elsinore segue essa nova versão e chega às livrarias a 5 de setembro. A tradução é de Galina Mitrakhovich e a revisão de Nuno Quintas.

A 19 de setembro, a editora irá ainda lançar O Luto É a Coisa com Penas, de Max Poter, um livro em que a ficção e o ensaio se misturam para falar de tema sensível — o luto. O resultado final é “deslumbrante”, afirma a Elsinore. A tradução é do poeta Daniel Jonas e a edição em capa dura.

Na Guerra & Paz, o mês irá começar com a publicação de Quem Me Dera Ser Onda, do angolano Manuel Rui, um clássico contemporâneo que, quase uma década depois, regressa às livrarias. A este, seguir-se-ão dois outros clássicos: Mulherzinhas, de Louise May Alcott, e Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis. Mais tarde, sairá o romance Madame Bovary, de Gustave Flaubert e, pela Ítaca, Estranha guerra de uso comum, a estreia na ficção do tradutor Paulo Faria.

Na Dom Quixote, a lista é grande. O mês vai começar com a publicação, logo no dia 1 de setembro, de Tonio Kröger, do Nobel da Literatura Thomas Mann, e de Bússula, do vencedor do Prix Goncourt de 2015 Mathias Enard. O autor estará em Portugal para participar, nos dias 11 e 12 de setembro, no Festival Internacional de Cultura em Cascais.

primeiro

“A Guerra Não Tem Rosto de Mulher”, de Svetlana Alexievich, e “A Vegetariana”, de Han Kang, são algumas das novidades de setembro

A Bússula seguir-se-á, a 13 de setembro, a publicação de A Vegetariana, da sul-coreana Han Kang, vencedora do Man Booker Prize internacional na categoria de “Ficção”. Depois do anúncio do prémio, o livro tornou-se rapidamente um best-seller no país natal de Kang, vendendo cerca de meio milhão de exemplares.

Pela Dom Quixote, sairão As Mentiras Que As Mulheres Contam e As Mentiras Que os Homens Contam, do brasileiro Luís Fernando Verissimo, Gaivota, de Sándor Márai, Contos da Peste, de Mario Vargas Llosa, e As Formas Mudadas, de Norberto Vale Cardoso. Os cinco livros chegam às livrarias a 20 de setembro.

Na Teorema, será publicado, também a 20 de setembro, Uma Dor Tão Desigual, um conjunto de histórias sobre as fronteiras “múltiplas e ténues que definem a saúde psicológica e o que dela nos afasta”. Os contos foram escritos por oito autores portugueses — Afonso Cruz, Dulce Maria Cardoso, Gonçalo M. Tavares, Joel Neto, Maria Teresa Horta, Nuno Camarneiro, Patrícia Reis e Richard Zimler.

Em setembro, a Porto Editora irá editar a máquina de fazer espanhóis, de Valter Hugo Mãe (que já vai na 19º edição), o novo livro de Mário de Carvalho, Ronda de mil belas em frol, e O Lagarto, uma edição ilustrada de um conto breve de José Saramago. Publicado inicialmente em A Bagagem do Viajante, em 1973, um volume que reunia as crónicas escritas pelo Prémio Nobel para A Capital e para o Jornal do Fundão, entre 1971 e 1972, o texto não voltou a ser editado desde então. As ilustrações são de José Francisco Borges, um dos maiores artistas populares brasileiros, e serão expostas no Festival Literário de Óbidos, onde o livro será apresentado. De Saramago, a editora irá reeditar também em setembro O Ano da Morte de Ricardo Reis.

Na Livros do Brasil, o mês vai começar com a Picada Mortal, de Rex Stout, o oitavo volume da renovada “Coleção Vampiro“. Seguem-se, também em setembro, Batalha Incerta, uma obra menos conhecida do norte-americano John Steinbeck, e O Mito de Sífiso, de Albert Camus (com tradução de Urbano Tavares Rodrigues).

A Assírio & Alvim irá continuar com a reedição de grandes poetas portugueses. Em setembro, vão sair Ilhas e Musa — O Búzio De Cós e Outros Poemas, de Sophia de Mello Breyner Andersen, e Boca Bilingue, de Ruy Belo. Pela mesma editora, serão ainda publicaos Passagens: Poesia, Artes Plásticas, uma antologia de poesia de 60 autores portugueses contemporâneos ligados às artes (principalmente à pintura), Um beijo dado mais tarde, de Maria Gabriela Llansol, e por fim Paris-Austerlitz, o livro final da Rafael Chirbes, concluído pelo autor pouco tempo antes de morrer, em maio de 2015L

A Alfaguara vai lançar O meu nome é Lucy Barton, da norte-americana Elizabeth Strout, um retrato da relação entre mães e filhas e da distância que muitas vezes se cria entre pessoas próximas. Pela mesma editora, sairá ainda A Denúncia, do norte-coreano Bandi. Oriundo de um país opressor, Bandi conseguiu romper barreiras e ver a sua obra publicada além-fronteiras. A Denúncia é um retrato “dramático do pesadelo de viver todos os dias no país mais fechado do mundo”, garante a editora.

segundo

“Memórias Póstumas de Brás Cuba”, um clássico da literatura de língua portuguesa, sairá em setembro pela Guerra & Paz. A Companhia das Letras vai publicar “Lavoura Arcaica”, de Raduan Nassar

Por sua vez, a Companhia das Letras irá lançar Lavoura Arcaica, o primeiro romance de Raduan Nassar, autor distinguido em 2016 com o Prémio Camões e finalista do Man Booker Prize internacional. Editado originalmente em 1975, Lavoura Arcaica conta a história de André, um jovem que cresce numa fazenda brasileira, onde a vida é “a terra, o trigo, o pão, a mesa, a família”.

A Relódio d’Água irá continuar a publicar Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust. Em setembro, chegam às livrarias os volumes O Lado de Guermantes e Sodoma e Gomorra. No mesmo mês, a editora irá lançar Ficar na Cama e Outros Ensaios, de G. K. Chesterton, com uma introdução de Alberto Manguel.

A E-Primatur irá publicar pela primeira vez em português a sequela praticamente desconhecida de Robinson Crusoe, As Novas Aventuras de Robinson Crusoe, publicada em 1719 por Daniel Defoe. Pela editora, sairá também Voss, do Prémio Nobel da Literatura australiano Patrick White, uma história sobre a relação entre dois seres incomuns na Austrália da viragem do século XIX para o XX. O romance foi considerado um dos 100 melhores de língua inglesa pelo jornal britânico The Guardian.

Pela Bertrand, irá sair Santuário, de Andrew Michael Hurley, e Pela Quetzal, Num Estado Livre, um dos melhores romances do Prémio Nobel da Literatura V.S. Naipaul, que viajará para Portugal para participar no festival literário de Óbidos. A editora irá anda publicar em setembro O Homem que Escrevia Azulejos, de Álvaro Laborinho Lúcio.

Na Presença, haverá o regresso de Ken Follett, com Contagem Decresecente (logo a dia 7) e de Orhan Pamuk, de quem nos chega Uma Estranheza em Mim no dia 21. Não esquecer que é também pela presença que será laçada a tradução em português do mais recente capítulo da saga Harry Potter (a 24).

Outubro

Em outubro, a Jacareca publicará Jumanji, uma das mais famosas obras do autor e ilustrador norte-americano Chrisvan Allsburg. A Elsinore irá editar a 31 de outubro Yoro, o primeiro romance de Marina Perezagua, autora de culto em Espanha.

A Dom Quixote irá lançar António Ferro: Um Homem por Amar, uma biografia de Rita Ferro, neta do escritor. A editora irá também publicar Para Aquela Que Está Sentada no Escuro à Minha Espera, de António Lobo Antunes, Quando Ela Era Boa, de Philip Roth, e Túnel de Pombos, de John le Carré.

A Guerra & Paz irá acrescentar em outubro mais um título à coleção dos “Livros Amarelos”. Desta vez, a editora irá juntar duas obras improváveis — o Cântico dos Cânticos, do Antigo Testamento, e o Manual de Civilidade para Meninas, de Pierre Louys.

A E-Primatur irá acrescentar ao seu catálogo Inferno, do dramaturgo Bernardo Santareno e um “dos textos mais invulgares da literatura portuguesa”, garante a editora. Inferno conta a história do caso verdadeiro de um casal de serial killers sádicos ingleses e recria o ambiente de um tribunal. A peça, uma das mais poderosas do dramaturgo é, ao mesmo tempo, um “tremendo estudo sobre a natureza do mal”.

A Presença lança Gregor — A Terceira Profecia, de Suzanne Collins, a autora que criou Os Jogos da Fome. E também em Outubro haverá mais JK Rowling, mas com o pseudónimo Robert Galbraith. Career of Evil é o título do livro que marca o regresso do detetive Cormoran Strike — o mesmo cujas investigações têm já promessa de adaptação à televisão, pela BBC.

A Porto Editora irá lançar Prantos, amores e outros desvarios, de Teolinda Gersão, Os Preponderantes, do francês Hédi Kaddour, e Homens imprudentes, o novo romance de Valter Hugo Mãe, que celebra em 2016 20 anos de carreira literária. Em outubro, a editora irá continuar com a reedição das obras de José Saramago, com os dois volumes dos Cadernos de Lanzarote. Na Livros do Brasil, sairá a Mansão, de William Flaukner, livro que não era editado desde os anos 70, e mais um volume da Coleção Vampiro — O Mistério Dos Fósforos Queimados, de Ellery Queen.

adília e camilo

A Assírio & Alvim vai publicar em outubro o novo livro de Adília Lopes e o Círculo de Leitores primeiro volume da obra completa de Camilo Castelo Branco

A Assírio & Alvim irá acrescentar mais um livro à coleção “Almada Breve” — Poemas Escolhidos, que reúne os melhores poemas de José de Almada Negreiros. Ainda em outubro, a editora lançará Bandolim, o novo livro de Adília Lopes, Deus dói como um prazer, uma antologia de poemas da brasileira Adélia Prado, escolhidos por José Tolentino Mendonça e Miguel Cabedo e Casconcelos, e o primeiro volume da obra completa de Ruy Cinatii, Obra Poética I, cuja edição tem vindo a ser sucessivamente adiada pela editora. A Assírio & Alvim publicará ainda uma outra antologia de poemas — Habitarei o meu nome, de Saint-John Perse, Prémio Nobel da Paz em 1926. A edição é bilingue.

Na Círculo de Leitores, o mês ficará marcado com o lançamento do primeiro volume de Camiliana, que inclui todos os contos, novelas curtas e romances breves de Camilo Castelo Branco. Pela Bertrand, sairá Doutor Sono, a sequela de The Shining, de Stephen King, e Mischling — A Outra Metade de Mim, de Affinity Konar. Inspirado em factos verídicos, o livro conta a história de duas irmãs gémeas que, depois de chegarem a Auschwitz, se tornam cobaia de Josef Mengele.

Novembro

Em novembro, a Casa das Letras irá publicar Norwegian Wood, do japonês Haruki Murakami, e a Jacareca mais uma obra de Chrisvan Allsburg, O Expresso Polar. Já a editora Dom Quixote, irá lançar Um Optimista na América, de Italo Calvino, e Polícia, do norueguês Jo Nesbø.

Na Elsinore, sairá O Que não É Teu não É Teu, de Helen Oyeyemi, considerada pela Granta como uma das melhores novas escritoras britânicas. Oyeyemi venceu o prémio Somerset Maugham e é autora do aclamado romance Boy, Snow, Bird, que a editora lançará no decorrer do próximo ano.

A Guerra & Paz irá relançar o romance E Onde É Que Está o Amor?, de Ana Zanatti, e um novo livro amarelo, que juntará textos de Jorge de Sena, Mark Twain e James Joyce. Mas não só. Para novembro, está ainda programado o lançamento de uma nova (e muito especial) edição de “Tabacaria”, de Álvaro de Campos. A Guerra & Paz não quis adiantar pormenores, mas sabe-se que será uma edição limitada e numerada, pintada à mão de azul e com fotografias inéditas. De quem? A editora não quis dizer. É esperar para ver.

A E-Primatur irá publicar Tarass Bulba, de Nikolai Gogol. O livro, traduzido pela primeira vez para português a partir do russo, inclui o texto integral que foi censurado na altura da sua publicação, na década de 30 da século XIX. Neste mês, a editora irá ainda lançar o primeiro volume de As 1001 Noites.

A Porto Editora continuará com a publicação das obras de José Saramago com Viagem a Portugal. Em novembro, sairá ainda As Raparigas, de Emma Cline, um livro que segue a história de três jovens adolescentes que, no verão de 1969, acabam por entrar para uma comunidade liderada por um músico frustrado e carismático. Implicitamente, o livro abora as questões da droga e do amor livre nos anos 60, recuperando a história de Charles Manson.

Se Setembro já estava marcado como mês de regresso de Ken Follett, tudo se repete em novembro com outro título. Será Nome de código: Leoparda.

Na Livros do Brasil, a “Coleção Vampiro” vai ganhar mais um título — A Liga dos Homens Assustados, de Rex Stout. Na Assírio & Alvim, sairá a tradução de Sophia de Mello Breyner da peça de Shakespeare Muito Barulho por Nada (em inglês, Much Ado About Nothing), e um novo livro da coleção “Pessoa Breve” — as melhores Novelas policiárias de Fernando Pessoa, escolhidas por Fernando Cabral Martins e Ana Maria Freitas.

Em novembro, sairá pela Quetzal Seda, de Alessandro Barrico, e A Ira de Deus Sobre a Europa, de José Rentes de Carvalho.

Livros de não-ficção

Setembro

Na Elsinore, o mês de setembro ficará também marcado pelo lançamento da esperada autobiografia de Bruce Springsteen, Born to Run. O “Boss” começou a escrever as suas memórias há sete anos, depois de uma atuação marcante na Super Bowl com a E Street Band. O resultado é um relato sincero, onde são desvendados alguns dos segredos de uma das maiores estrelas do rock.

Pela Casa das Letras, irá sair A Verdadeira História da SS, de Robert Lewis Koehl. O historiador norte-americano passou três décadas a estudar as SS e a sua forma de atuação no interior do próprio Reich, mas também nos territórios conquistados. Para além de lutarem lado a lado com as outras forças militares alemãs, as SS foram responsáveis pelo sistema de campos de concentração e pela segurança no interior do Reich. Foram também “artífices de um projeto cultural sem precedentes”, como refere a sinopse do livro divulgada pela editora.

bruce e cenas

A autobiografia de Bruce Springsteen é uma das grandes apostas da Elsinore em setembro. A Bertrand vai editar um conjunto de ensaios de Thomas Mann, “Um Percurso Político”

E no ano em que se celebram os 400 anos da morte de William Shakespeare, a Dom Quixote irá lançar As Lições de Vida de William Shakespeare. O livro, com organização e tradução de Inês Pedrosa, inclui uma seleção de frases e versos extraídos das mais famosas peças do dramaturgo inglês, numa edição bilingue. Sempre atarefada, a editora irá ainda publicar Política em Tempos de Indignação, do filósofo Daniel Innerarity, e A Única Solução, do economista chefe da Allianz Mohamed El-Erian. Innerarity estará em Portugal no dia 10 de setembro para participar no Festival Internacional de Cultura de Cascais.

A partir de setembro, a Quetzal irá iniciar a publicação da nova edição da Bíblia, traduzida a partir do grego por Frederico Lourenço. O primeiro dos seis extensos volumes sai no final do mês, no dia 23, no mesmo dia em que chegará às livrarias a reedição de Cinco Reis de Gente, de Aquilino Ribeiro, pela Bertrand Editora. O livro, a memória dos primeiros anos de vida de autor, inclui uma introdução de Jorge Coelho e um prefácio de Luísa Costa Gomes.

Em setembro, a Bertrand irá ainda editar o livro O Euro, do Prémio Nobel da Economia Joseph Stieglitz, que pretende mostrar que o mandato do Banco Central Europeu está erradamente obstinado pelo controlo da inflação, e Um Percurso Político, um conjunto de ensaios de Thomas Man que mostram a evolução ideológica do Prémio Nobel da Literatura.

A Presença faz a rentrée da não ficção com Quem Governa o Mundo?, de Noam Chomsky, um dos mais mediáticos pensadoresc ontemporâneos, Desperdício Zero, com um guia para seguir o título à risca no dia a dia (de Bea Johnson), e 99 Histórias de Sabedoria, de António Estanqueiro.

A Bookbuilders irá lançar História Natural da Estupidez, o mítico ensaio de Paul Tabori. Um livro onde se cruzam perspetivas históricas, sociológicas, psicológicas, antropológicas e filosóficas, procurando definir da melhor maneira a vasta experiência da estupidez humana em todas as suas vertentes.

Depois de Preto — História de uma cor, em 2014, a Orfeu Negro ira publicar Azul — História de uma cor, dando assim continuação à trilogia das cores de Michel Pastoureau, um dos maiores especialistas em simbologia e heráldica. No mesmo mês, a editora irá ainda lançar Teoria King Kong, um livro na área dos estudos queer e do género, onde Virginie Despentes faz uma “interrogação frontal e feroz da sexualidade feminina”, nas palavras da Orfeu Negro.

A Manuscrito irá lançar Episódios da História de Portugal que não aconteceram bem assim, de Ricardo Raimundo, um livro que pretende repor a verdade na História de Portugal. Ao longo da obra, Raimundo relata a verdadeira história de 40 episódios históricos que têm sido mal contados. É publicado no dia 7 de setembro.

outro

A Porto Editora irá lançar “Violência e Islão”, do sírio Adonis, e a Dom Quixote “A Única Solução”, de Mohamed A. El-Erian

Pela Porto Editora, irá sair a 20 de setembro a biografia de um dos mais relevantes projetos musicais portugueses — os GNR. Para além de uma entrevista aos três membros originais, conduzida pelo jornalista do Público Hugo Torres, e de uma descrição do percurso da banda, o livro inclui um CD-single com um tema inédito, gravado de propósito para a biografia. O lançamento do livro acontecerá no dia 20 de setembro, na Casa da Música, e será seguido de um concerto dos próprios GNR.

Em setembro, a editora irá também lançar Violência e Islão, de Adonis. O livro reúne várias entrevistas feitas ao autor sírio por Houria Abdelouahead, nas quais ele aborda várias questões relacionadas com a cultura árabe e o extremismo islâmico.

Na Temas e Debares, irá sair Queremoss una Economia Nova, um livro onde Álvaro Garrido apresenta uma análise inovadora do corporativismo português, comparando-o com o dos regimes fascistas do período entre as duas guerras. A 23 de setembro, a editora irá publicar A Ilusão da MemóriaRecordar, esquecer e a ciência da memória falsa, de Julia Shaw.

Outubro

Pela Dom Quixote irá sair À Beira do Abismo, a primeira parte da enciclopédia sobre o século XX de Ian Kershaw, que abarca o período de 1914 a 1949. Para o mesmo mês, está também marcada a saída de LX 80, mais um livro de Joana Vilela e Pedro Fernandes, autores de LX 70, sobre a cidade de Lisboa.

Já a Texto irá publicar Heinrich Himmler, a biografia mais completa do líder das SS. O autor, Peter Longerich, professor de História na Royal Holloway, da Universidade de Londres, e fundador do Centro de Pesquisa Universitária do Holocausto.

A Elsinore irá editar a 3 de outubro Depois do Fim: Crónica dos Primeiros 25 Anos da «Guerra de Civilizações», do jornalista português Paulo Moura. Partindo dos diários de guerra, escritos durante os principais conflitos dos últimos 25 anos, Moura elabora uma crónica atual, abordando temas como o terrorismo, o Estado Islâmico ou a guerra na Síria.

Na Guerra & Paz, será editado a 19 de outubro Nascemos para Ser Felizes, uma autobiografia do cantor Emanuel. No final do mês, será a vez da Correspondência inédita de Jorge de Sena e Eugénio de Andrade. O livro, que reunirá as cartas trocadas entre os dois autores entre 1949 e 1978, chega às livrarias a 26 de outubro.

outubro

“Heróis e Hereges” e “O Diário do Diabo” são algumas das apostas da Temas e Debates para este trimestre

A Pergaminho irá lançar Pais Inteligentes Foram Sucessores, Não Herdeiros, de Augusto Cury. O livro aborda a “necessidade e a importância de ensinar um filho a ser empreendedor, encaminhando-o para um futuro sólido”, de acordo com a editora.

Os mistérios históricos de Os Espiões do Papa: A Guerra Secreta de Pio XII contra Hitler, de Mark Riebling, é um das grandes apostas da Presença para Outubro.

Outubro será em grande para a Temas e Debates, que começará o mês com o lançamento dos Sermões do Natal e Advento, do Padre António Vieira, seguido de Heróis e Hereges, do bestseller Thomas Cahill. O livro fala sobre o Renascimento e a Reforma, e de que forma transformaram o mundo ocidental. Depois destes, será publicado o Diário do Diabo, de Robert K. Wittman e David Kinney, que traça o percurso do diário de Alfred Rosenberg (o principal filósofo de Hitler e arquiteto da ideologia nazi), e Portugal: Ambientes de Mudança, da consagrada investigadora de questões ambientais Luís Schmidt

Novembro

E porque livros nunca são de mais, em novembro a Assírio & Alvim irá editar a Poesia completa, de Eugénio de Andrade, e Joga-se aqui o essenvial — Um olhar sobre o que somos, de D. Manuel Clemente. Um livro onde o Cardeal Patriarca de Lisboa “sintetiza a sua visão do presente português e europeu, identificando os grandes desafios que hoje enfrentamos”, segundo a editora.

A Bertrand irá lançar SPQR — Uma História da Roma Antiga, de Mary Beard, professora de cultura clássica da Universidade de Cambridge. Já a Temas e Debates, publicará Fábulas de la Fontaine e Paula Rego por Paula Rego, um livro que reúne cinco anos de conversas com Anabela Mota Ribeiro, intercaladas com 40 ilustrações de quadros, desenhos e gravuras da artista.

Livros infantis

Setembro

A pensar nos mais novos (e nos mais velhos), chega a Portugal o novo Guia Oficial Minecraft: O Livro Secreto dos Sobreviventes, pela Elsinore. Esta irá também lançar em setembro o 14º volume da coleção do Bando das Cavernas, do português Nuno Caravela — O Bando das Cavernas 14: Fã n.º 1. A coleção conta já com 97 mil exemplares editados.

José Jorge Letria juntou-se à ilustradora Elsa Fernandes para criar Fala das Coisas, que será editado pela Booksmile. Já a Nuvem das Letras irá lançar Malala — A menina que queria ir à escola, a história de Malala Yousafzai e da sua luta pelo direito à educação, contada por Adriana Carranca. As ilustrações são de Bruna Assis.

Medo do Quê, de Rodrigo Abril de Abreu, quer ajudar os mais pequenos a ultrapassarem os receios que ainda não conseguem dominar. Leva o carimbo da Presença.

Pela Orfeu Negro Mini irão sair os livrros Ké Iz Tuk?, de Carson Ellis, e Mamã Raposa, de Amandine Momenceau, a história de uma mãe raposa que, numa floresta coberta de neve, observa os quatro filhotes a brincar às escondidas. Já a Porto Editora irá lançar Se os bichos se vestissem como gente e O casamento da gata, de Luísa Ducla Soares.

crianças

“Se os bichos se vestissem como gente”, de Luísa Ducla Soares, irá sair pela Porto Editora. “Malala”, de Adriana Carranca, pela Booksmile

Outubro

A Orfeu Negro Mini irá editar Era uma vez um alfabeto, um livro onde o autor, Oliver Jeffers, transforma o abêcêdê numa aventura de mistério e humor, partindo de 26 histórias cheias de enigmas. Era uma vez um alfabeto venceu o prémio Amazon Best Book de 2014.

No mesmo mês, a editora irá também editar Aha e a Baleia Branca, de Manuel Marsol. O livro, vencedor do Prémio Internacional Álbum Ilustrado Edevives de 2014, recria um dos mais belos clássicos da literatura — Moby Dick.

Depois da tradução do mais recente Harry Potter, a Presença regressa em outubro com o herói ainda enquanto jovem, ao reeditar A Câmara dos Segredos mas agora em versão ilustrada.

A Porto Editora irá publicar Camões, o super-herói da Língua Portuguesa, Histórias de Tempo Vai Tem Vem e 100 histórias de todos os tempos, de Maria Alberta Menéres. No mesmo mês, a editora irá ainda estrear uma nova coleção a pensar nos rapazes — Os Indomáveis, de Álvaro Magalhães, sobre um grupo de miúdos que decide criar um clube de futebol, Os Indomáveis F.C — e Panda, conta-me uma história, de Luísa Ducla Soares, onde a mascote do Canal Panda assume o papel de personagem principal de meia dúzia de histórias originais e divertidas.

Ainda em setembro, a editora irá publicar Olívia, a ovelha que não queria dormir, de Clementina Pires de Almeida, um livro que aborda uma questão muito importante para todos os pais — o sono. Desenvolvido com base nas mais recentes investigações científicas, Olívia, a ovelha que não queria dormir é um livro cheio de “pequenos segredos que ajudam as crianças a adormecer com mais facilidade e, acima de tudo, a dormirem a noite toda”. A autora, Clementina Almeida é psicóloga clínica e fundadora do BabyLab, da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.

Novembro

Em novembro, chegará às livrarias uma nova edição do clássico infantil Bambi, Uma Vida na Floresta, de Felix Salten. Pela primeira vez em português na sua forma integral, a edição terá ilustrações originais de Pedro Salvador Mendes, que venceu o concurso organizado pela editora.

A Orfeu Negro Mini irá editar As Mulheres e os Homens e Há Classes Sociais, de Equipo Plantel e Luci Gutiérrez, vencedores do Prémio Não-Ficção Bologna Ragazzi de 2016.

Notícia atualizada a 7 de setembro

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt
Livros

Um simpático “reaccionário minhoto” /premium

João Carlos Espada

O nosso “reaccionário minhoto” desafia todos os dogmas politicamente correctos. Mas nunca é agressivo; nunca está zangado; e transmite uma atitude critica, mas tolerante, de “live and let live”.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)