Índice

    Índice

Quando o dia acaba, os candidatos ainda têm problemas por resolver, dos mais mundanos aos mais estratégicos. Ana Gomes culpa a Vodafone por não ter televisão e evita, assim, ver Marcelo na tela. A socialista tanto conta como deu um pulo ao shopping por já não ter nada no frigorífico, como critica a estratégia de Marisa de dar a vitória antecipada ao atual Presidente. No pico do desgaste da campanha, Ventura confessa — no início da madrugada — que ainda iria ler coisas sobre Marisa, Catarina Martins e Marcelo. Diz-se incomodado com a saudação nazi no comício do Chega e admite que faria diferente se soubesse que ia haver ameaças a jornalistas. Já Marisa Matias, antes de ir dormir, confessa que sonha com mudar o mundo. Tiago Mayan Gonçalves é apanhado, numa das duas chamadas, ainda no carro, a caminho do Porto, e revela que respira melhor quando passa o Douro.

Tudo isto faz parte das confissões dos candidatos presidenciais na última chamada do dia. Os seis principais candidatos foram desafiados a atender um telefonema tardio a fechar o dia para o jornalista do Observador que está no terreno. A maioria dos candidatos concedeu esta última chamada em dois dias consecutivos. Só com Marcelo Rebelo de Sousa não foi possível gravar a chamada, embora também tenha conversado madrugada adentro com a jornalista que acompanha a campanha.

Ana Gomes. A box avariada que não deixa ver Marcelo

[Ouça aqui a última chamada durante dois dias consecutivos com Ana Gomes:]

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.