Nas redes sociais circula uma “Declaração Mundial sobre o Clima” assinada por mais de 1.100 pessoas. Foi partilhada pela primeira vez a 27 de junho e desde então replicada por várias vezes. Esse texto alega que não existe consenso científico de que o aquecimento global existe por ação do ser humano.

O post que circula é um resumo de um texto publicado em 2020 pela Fundação de Inteligência Climática (Clintel), uma organização com sede nos Países Baixos que se descreve como “fundação independente” e fundada por Guus Berkhout e por Marcel Crok. Trata-se de um geofísico aposentado que trabalhou para a gigante de petróleo Shell e um jornalista.

Os dois foram acusados ​​de receber dinheiro de empresas de combustíveis fósseis para financiar o seu trabalho, mas ambos negam as acusações e desmentiram reportagens publicadas nos Países Baixos. De acordo com essas notícias, o dinheiro de empresas de combustíveis fósseis teria financiado o trabalho do geofísico. No entanto, em resposta por e-mail à Agência France Presse, a 2 de setembro de 2022, o jornalista Marcel Crok disse que “a Clintel nunca recebeu um centavo da indústria petrolífera”.

Ao olhar mais de perto para a lista de signatários do texto de 2020, verificamos que há 1348 assinaturas na versão mais recente, 5 delas de Portugal. Dois engenheiros químicos, um investigador reformado da área da agricultura, um professor de Eletrónica e Informática da Universidade do Algarve e um membro de um projeto intitulado Sea Level Project. Fazendo pesquisa no documento, verificamos que oito subscritores são antigos funcionários ou investigadores ligados à gigante petrolífera Shell. Cerca de 100 dos signatários descrevem-se como estando ligados a investigações sobre o clima mas apenas cerca de 10 assumem ser investigadores da área. Há ainda quem diga estar ligado à paleoclimatologia (estudo das variações climáticas ao longo da história da Terra).

Esta declaração argumenta que não há consenso científico de que o ser humano é culpado pelo aquecimento global porque “o clima da Terra variou desde que o planeta existiu, com fases frias e quentes que ocorrem naturalmente”.

Aquecimento global é uma “evidência inequívoca”

Apesar desta “Declaração Mundial sobre o Clima” alegar uma base científica para dizer que não existe aquecimento global, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) convidou mais de 700 especialistas de 90 países para serem autores e editores do Sexto Relatório de Avaliação , publicado entre agosto de 2021 e abril de 2022. Esta que é a avaliação mais completa feita até hoje do conhecimento científico sobre a mudança climática conclui que há uma evidência “inequívoca” de que o clima está a aquecer como consequência da ação do ser humano.

Também o Parlamento Europeu declarou em novembro de 2019 a “emergência climática“. Numa resolução aprovada com 429 votos a favor, 225 contra e 19 abstenções, os eurodeputados assumem a existência de uma emergência climática e ambiental. Por isso, apelam à Comissão Europeia, Estados-Membros e todos os intervenientes a nível mundial para que tomem urgentemente as medidas concretas necessárias para combater e conter esta ameaça, “antes que seja demasiado tarde”.

Numa outra resolução sobre a Conferência da ONU para as Alterações Climáticas, que haveria de decorrer no mesmo ano em Madrid, os eurodeputados apelaram aos líderes europeus para que manifestassem o apoio, no Conselho Europeu, ao objetivo de longo prazo da União Europeia de alcançar um nível nulo de emissões líquidas de gases com efeito de estufa “o mais rapidamente possível e, o mais tardar, até 2050”.

Além da União Europeia, outros 18 países já declararam a “emergência climática”. No total, 2.268 jurisdições de 39 países também fizeram essa declaração. De acordo com o site “Climate Emergency Declaration”, a população coberta por esta declaração é de mil milhões de pessoas.

Conclusão

O documento que circula na internet intitulado “Declaração Mundial sobre o Clima” tem poucas bases científicas quando comparado com estudos mais completos que têm sido publicados. Além disso, olhando para quem o assinou, ficamos a perceber que praticamente nenhum dos signatários é cientista ou investigador na área do clima. Alguns têm até ligações com a indústria petrolífera. Os dados avaliados por cientistas de todo o mundo mostram que o aquecimento global por ação humana é “inequívoco”.

Assim, segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

NOTA: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

IFCN Badge