A 19 de abril, surgiu uma notícia no site “Culturalusa” com um suposto anúncio oficial feito pela Finlândia: o país anunciava que ia sair do euro. No título podia ler-se o seguinte: “Finlândia anuncia oficialmente que prefere deixar o euro do que pagar as dívidas de outros”. A notícia foi entretanto partilhada no Facebook, chegando a ter mais de 253 mil visualizações e 3,9 mil partilhas e a frase é creditada à suposta ministra das Finanças, Jutta Urpilainen. Apesar de a frase ter sido noticiada assim, não é verdade que tenha sido proferida em 2020 — nem Jutta Urpilainen seja a atual ministra das Finanças.

Há, no entanto, notícias de 2012 que reproduzem esta frase, que terá sido dita pela então ministra Urpilainen, mas também nessa altura a declaração foi desmentida pelo governo finlandês, que alegou tratar-se de um erro de tradução ou uma falha na interpretação da reposta dada pela ministra. Ou seja, esta notícia é enganadora, porque pega numa notícia credível feita anos antes, que é reproduzida num contexto mundial completamente diferente.

A notícia que foi publicada a 19 de abril de 2020 e que não corresponde à verdade

Primeiro, é necessário referir que a atual ministra das Finanças finlandesa é Katri Kulmuni  e não Jutta Urpilaienen, como diz o artigo do site “Culturalusa”. Através de uma pesquisa pelo site oficial do governo daquele país, encontramos o nome de Kulmuni como sendo a responsável pela pasta das Finanças. É de facto verdade que Jutta Urpilainen foi ministra das Finanças, mas entre 2011 e 2014. E foi precisamente durante essa legislatura, que o país terá manifestado a intenção de sair do euro.

Jutta Urpilainen é atualmente comissária no parlamento europeu das parcerias internacionais (Jutta Urpilainen). O seu mandato termina em 2024 e iniciou-se no ano passado.

Fazendo uma pesquisa pela citação através do Google, damos conta de várias notícias de 2012 que referem a suposta recusa da Finlândia em pagar as dívidas de outros países da moeda única europeia, numa altura em que vivíamos em plena crise financeira . Nessa altura, o jornal Kauppalethi publicou, em julho de 2012, um artigo onde era referida essa intenção da Finlândia. O título era exatamente o mesmo da citação que foi usada em abril de 2020 pelo site Culturalusa: “Finlândia prefere sair do euro a pagar dívidas dos outros países”. E houve vários meios portugueses que referiram a notícia do jornal finlandês Kauppalethi.

Nesse artigo, era também referido que o país estava “comprometido como membro da zona euro e que o euro era útil para o país”, mas que “não se iria apegar ao euro a qualquer custo”. Ou seja, a Finlândia estava a preparar-se para qualquer dos cenários. Essa primeira transcrição foi feita pela agência francesa AFP, que acabou por ser desmentida mais tarde. O Observador não conseguiu chegar à notícia original, depois de uma busca no Google, mas conseguiu encontrar as versões portuguesas da mesma notícia.

Um assessor da ministra da pasta financeira, Matti Hirvola, ouvido pela agência Bloomberg, negou na altura que essa citação tivesse sido proferida por Urpilainen. O próprio primeiro-ministro finlandês dessa altura, Kyrki Katainen, desmentiu que tivesse existido essa possibilidade. “Nós não vamos sair do euro, nem sequer estamos a considerar essa possibilidade”, afirmou, citado pela agência Bloomberg. Ou seja, tratou-se de um erro na
tradução da entrevista e de uma interpretação do jornal financeiro finlandês das palavras da ministra daquele país.

No artigo do site “Culturalusa”, é possível também perceber que são referidas duas ministras das Finanças diferentes, numa clara contradição. No início, o título da notícia é creditado à ex-ministra Jutta Urpilainen e, no fim, já quando o texto fala sobre o pacote de crise discutido na reunião de ministros das Finanças do Eurogrupo deste mês, é referida a atual ministra, Katri Kulmuni. Tudo no mesmo corpo de texto como se fossem a mesma pessoa. É também importante referir que o Observador fez uma busca no Google utilizando esta citação e o nome da atual ministra e também não obteve qualquer prova de que Kulmuni tenha falado sobre uma eventual saída do euro.

Conclusão

Não é verdade que a ministra das finanças finlandesa Katri Kulmuni tenha dito, este ano, que a Finlândia preferia abandonar o euro a ter de pagar as dívidas dos outros países, como conta uma publicação no site “Culturalusa”. Essa notícia é acompanhada de uma imagem da ex-ministra das finanças (2011 a 2014) Jutta Urpilainen, que já não faz parte do executivo atual. A tal citação terá sido proferida em 2012 por Urpilainen, que foi depois citada por diversos jornais, mas acabou por ser desmentida pelo próprio governo finlandês, numa altura em que a Europa vivia uma das mais graves crises financeiras da sua história.

De acordo com o sistema de classificação do Observador:

ENGANADOR

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

PARCIALMENTE FALSO: as alegações dos conteúdos são uma mistura de factos precisos e imprecisos ou a principal alegação é enganadora ou está incompleta.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge